Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

REPÚDIO

Deputados pedem revogação da decisão que fecha 11 zonas eleitorais em MS

Ato previa a extinção de 26 zonas eleitorais, mas houve mudança

20 JUN 2017Por IZABELA JORNADA E MARESSA MENDONÇA13h:20

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Junior Mochi (PMDB) e deputado estadual Coronel David (PSC) encaminharam hoje moção de repúdio para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) solicitando revogação da resolução do ministro Gilmar Mendes em extinguir 11 zonas eleitorais no Estado.

Mochi comentou que alguns eleitores terão de andar mais de 200 quilômetros para justificar ou votar e o Coronel David completou que esta é uma mobilização nacional.

Além de Mochi, os deputados Beto Pereira (PSDB) e Professor Rinaldo (PSDB) foram até a presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Tânia Garcia de Freitas Borges, para que ela seja intermediadora da causa.

ENTENDA

Resolução do ministro Gilmar Mendes, presidente do TSE, vai extinguir 11 zonas eleitorais de Mato Grosso do Sul. Primeiramente, o mesmo ato previa a extinção de 26 zonas eleitorais, mas houve mudança de última hora.

A medida, conforme a Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), pode contribuir para aumento da corrupção nas eleições municipais. Isso porque para eleitores tirarem o título em algumas cidades, com as mudanças, vai exigir viagens de 400 quilômetros, por exemplo. Assim, a prática de compra de votos pode ganhar força com o transporte de pessoas que não tem dinheiro para viajar.

ZONAS EXTINTAS

As zonas eleitorais extintas serão Porto Murtinho, Pedro Gomes, Rio Negro, Deodápolis, Inocência, Nioaque, Sete Quedas, Anaurilândia, Corumbá, Três Lagoas e Ponta Porã.

A resolução previa impactar as seguintes cidades: Cassilândia, Fátima do Sul, Bataguassu, Camapuã, Porto Murtinho, Água Clara, Aparecida do Taboado, Iguatemi, Sonora, Caarapó, Pedro Gomes, Bonito, Mundo Novo, Bandeirantes, Rio Negro, Deodápolis, São Gabriel do Oeste, Inocência, Dourados, Nioaque, Sete Quedas, Anaurilândia, Chapadão do Sul, Corumbá, Três Lagoas e Ponta Porã.

Leia Também