Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

POLÍTICA

Deputados da AL são contra retirada do COAF do comando de Moro

Maioria da bancada federal de MS também votou a favor da mudança

23 MAI 19 - 11h:42IZABELA JORNADA

Maioria dos deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul declararam ser contra a manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) no Ministério da Economia e colaboraram com o número de parlamentares sul-mato-grossenses que apoiaram o pedido do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de mudar o Conselho para o Ministério da Justiça, sob comando de Sérgio Moro. 

A votação ocorreu ontem e maioria dos deputados federais da Câmara dos Deputados derrubaram a proposta do Governo Federal. Apenas Bia Cavassa (PSDB), Beto Pereira (PSDB) e Vander Loubet (PT) votaram contra a mudança do conselho para o Ministério da Justiça e os demais deputados federais votaram a favor da proposta do governo .

O deputado Coronel David (PSL) disse que considerou uma grande perda. “A oportunidade de aproximar o COAF do Ministério da Justiça é aquilo que o Moro se propôs no governo, fazendo parte do poder Executivo, de instrumentalizar e agilizar as investigações em curso no que se refere à lavagem de dinheiro” disse David .

Outro deputado que também é a favor da mudança do COAF de ministério é o parlamentar Márcio Fernandes (MDB). “Deveria ficar com Moro sim, essa é minha opinião”, limitou-se a dizer.

Apesar dos seus correligionários Bia Cavassa e Beto Pereira terem votado contra o COAF ser transferido para o Ministério da Justiça, o deputado do Marçal Filho declarou voto favorável à mudança do Conselho. “Se eu tivesse lá, manteria no Ministério da Justiça, mas também não sei porque tanta celeuma em cima disso, até porque vejo que não vai mudar nada, o Guedes e o Moro continuarão atuantes”, afirmou Marçal .

O tucano salientou também que é necessário respeitar o executivo, pois a mudança faz parte da visão de estrutura do governo.  

O deputado João Henrique Catan (PR) também compartilha da mesma ideia que Marçal. “É programa de governo e deve prevalecer. Eu daria força e sustentação para o governo. Tenho visto em várias votações criando dificuldades”, afirmou.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Mansueto: mesmo com reforma, governo não retomará investimentos por 3 ou 4 anos

“Quem anda com arma ou é polícia ou é bandido”, diz parlamentar
CONGRESSO

“Quem anda com arma é polícia ou bandido”, diz deputado

BRASIL

'Se for verdade, ultrapassou o limite ético', diz Alcolumbre sobre Sergio Moro

BRASIL

Celso de Mello deve decidir destino de Lula e Moro

Mais Lidas