CORRUPÇÃO

Delcídio pode ser acusado de receber propinas da Petrobras

Fernando Baiano fechou delação premiada para entregar três políticos do PMDB e um do PT
11/09/2015 00:00 - DA REDAÇÃO


 

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS), líder do Governo, pode ser alvo do operador do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras, o lobista Fernando Soares, o Baiano. Nas negociações para fechar acordo de delegação premiada, ele disse aos integrantes do Ministério Público Federal que pode entregar informações sobre suposta participação de três figuras de peso do partido e de um petista nos desvios de recursos da estatal. E este petista seria o Delcídio.

A Folha de S. Paulo apurou que ele citou os nomes dos peemedebistas Renan Calheiros (AL), presidente do Senado, do ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (RN), do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (RJ), além de Delcídio.

O lobista também adiantou que pode dar mais elementos sobre o papel de Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras, no esquema. Embora não tenha detalhado a atuação dos políticos ou de Cerveró, Baiano adiantou que pode contribuir com informações novas.

(*) A reportagem completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".