Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

dois pesos, duas medidas

Delcídio diz ter sido 'boi de piranha'
do Senado quando sofreu cassação

Ele fez comparação com a situação de Aécio, que se livrou das punições

20 OUT 2017Por DA REDAÇÃO04h:00

Cassado por unanimidade no ano passado, o ex-senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) disse ter sido “boi de piranha” do Senado ao comparar, ontem, a decisão de 44 senadores que livrou, na terça-feira, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) da determinação da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF).

Acusado de corrupção passiva e obstrução de Justiça, o tucano teve decretado o afastamento do mandato parlamentar, bem como o recolhimento noturno. Mas, diferentemente de Delcídio, ele conseguiu, com ajuda de colegas do Parlamento, livrar-se das punições do Supremo.

Para o ex-senador, enquanto “há provas de que Aécio é culpado”, ele foi julgado de forma injusta.

“Infelizmente, acrobacias jurídicas livraram a cara do Aécio Neves. O caso dele é gravíssimo, envolvendo malas de dinheiro e pedido de empréstimo de R$ 2 milhões a um empresário. No meu caso, nem uma perícia nos áudios foi realizada. Não pude me defender”, disse o senador cassado à Rádio Guaíba, de Porto Alegre. 

“Eles quiseram entregar um boi para as piranhas, pois o restante da boiada passaria. Agora com Aécio, não tiveram o mesmo entendimento e acharam que sobraria para todo mundo. Por isso o livraram”, afirmou. 

*Leia reportagem na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também