Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

Eleições 2018

Curso para novatos eleitos terá beabá e aulas sobre ética, negociação e lobby

4 DEZ 2018Por FOLHAPRESS22h:00

Um grupo de 56 deputados federais e estaduais e senadores de primeiro mandato passará pelos bancos da sala de aula antes de assumir cadeiras no Legislativo em 2019.

São participantes do curso Gestão Estratégica para Mandatos Legislativos, oferecido pelo RenovaBR -entidade de formação de novas lideranças que elegeu 17 candidatos neste ano- em parceria com o Insper -instituição de ensino superior conhecida pelos treinamentos para gestores públicos.

A primeira etapa foi aberta nesta terça-feira (4) em São Paulo e vai se estender por três dias. No fim de janeiro, os alunos terão também aulas em Brasília. No total, serão 40 horas de atividades, sob a coordenação de Carlos Melo, cientista político e professor do Insper.

A grade do curso prevê palestras sobre o funcionamento da Câmara, o regimento interno e o cotidiano do Congresso. "O papel do legislador" e "atuação no contexto parlamentar" são temas de duas aulas nesta quarta-feira, destrinchando o beabá da vida como congressista.

"Relações público-privadas na democracia", um eufemismo para lobby, e "negociação estratégica e gestão de conflitos" também estão na programação desta semana. Haverá ainda lições sobre ética, compliance, tramitação de projetos de lei e comunicação.

"O objetivo é qualificar os novos deputados e senadores que estão chegando lá", diz o empresário Eduardo Mufarej, fundador do Renova. Foi a entidade que propôs ao Insper a oferta do curso, na intenção de "completar o ciclo" do trabalho iniciado em 2017 para capacitar potenciais líderes e ajudá-los a se eleger.

Segundo os organizadores, foram convidados todos os políticos eleitos para seu primeiro mandato no Congresso Nacional, independentemente de partido ou origem, além de todos os vitoriosos do grupo criado por Mufarej (o que inclui sete deputados estaduais).

A turma de alunos segue a diversidade geográfica e partidária defendida pelo Renova. Há representantes de 20 estados e de 23 partidos.

Deputadas federais eleitas, Bia Kicis (PRP-DF), bolsonarista de carteirinha, e Tabata Amaral (PDT-SP), que fez campanha ao lado do presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE), estão na lista de inscritos.

Também aparecem na relação: os federais Tiago Mitraud (Novo-MG), Felipe Rigoni (PSB-ES), João Campos (PSB-PE), Marcel van Hattem (Novo-RS) e Zacarias Calil (DEM-GO), a estadual Marina Helou (Rede-SP) e o senador Fabiano Contarato (Rede-ES).

Dos principais partidos em atividade no país, PT, PSOL, PC do B e MDB não têm representante no curso. Desde seu lançamento, o Renova tem enfrentado resistência entre partidos mais identificados com pautas de esquerda, como PT e PSOL.

Membros dessas duas siglas dizem reservadamente desconfiar das intenções do Renova, que é mantido com doações de empresários e tem como principal divulgador o apresentador Luciano Huck, que quase foi pré-candidato à Presidência da República. A organização afirma que é apartidária e não pede dos apadrinhados nada em troca.

"Teríamos o maior prazer de ter todos [os partidos] conosco", diz Milton Seligman, coordenador do núcleo de políticas públicas do Insper. "Os convites foram disparados sem nenhum direcionamento, e todos os que se propuseram a participar foram aceitos."

"Não temos intenção de que o curso resvale para qualquer atividade que possa ser entendida como de debate ideológico", segue o docente. "O objetivo é dar instrumentos que permitam aos parlamentares planejar o mandato para defender os interesses que eles representam."

Mufarej diz que um parlamentar que chega despreparado leva pelo menos seis meses para se situar. O curso pretende funcionar como um atalho. "Um deputado no Brasil já custa muito. E um deputado que não performa custa muito mais. Tem um monte de deputado zumbi na Câmara, e a gente quer que esses caras [novatos] façam melhor", afirma.

O custo por aluno, pelos dois módulos de capacitação, foi estimado em R$ 8.300, mas a ideia é que a experiência saia de graça para toda a turma, já que todos foram contemplados com bolsas patrocinadas pelo Renova. Basta assistir a 75% das aulas para ficar dispensado do pagamento.

Quem descumprir o requisito terá que desembolsar o valor integral. A ajuda de custo abrange ainda passagens aéreas, traslados, hospedagem, material didático e alimentação. No Renova, os 133 membros da primeira leva de participantes tinham também direito a bolsas que variavam de R$ 5.000 a R$ 12 mil.

À frente das aulas estarão professores do Insper (Carlos Melo e Milton Seligman incluídos) e convidados como o economista Eduardo Giannetti da Fonseca e o sociólogo Sérgio Abranches.

Formam o chamado conselho consultivo do curso: o ex-ministro Nelson Jobim, a senadora Ana Amélia (PP-RS), o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (sem partido), e o deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE).

A Câmara dos Deputados também tem um projeto para ensinar a ser parlamentar. A Diretoria-Geral da Casa organiza desde novembro uma série de aulas para os parlamentares eleitos. Nas palestras, que ocorrem até janeiro, técnicos explicam como funciona o processo legislativo e quais são as funções de um deputado.

"O que eu pedi para o nosso time foi ver o que o curso da Câmara tinha de legal e trazer para o nosso, além de mapear as lacunas nas quais a gente poderia atuar", diz Mufarej.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também