Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

escândalo

CPI para apurar JBS em MS inicia
rachada e ameaça de abandono

Tucanos defendem investigação desde Zeca, petistas são contra e Siufi quer tirar André

13 JUN 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar irregularidades fiscais e tributárias da JBS será instalada oficialmente hoje, na Assembleia Legislativa.

A novidade é que, além de requerer os documentos da auditoria do Tribunal de Contas do Estado nos contratos das empresas beneficiadas com incentivos fiscais e pedir a revisão deles, os parlamentares começam os trabalhos com o grupo dividido. 

De um lado, Andrezistas e petistas que não concordam com a maioria da base aliada ao governo e querem investigar os 17 anos de administração de Mato Grosso do Sul, conforme denunciado por um dos proprietários da JBS, Wesley Batista. Isso significa que o grupo já começa rachado e pode ter saída de um dos integrantes se não houver foco apenas em Reinaldo Azambuja (PSDB). 

Paulo Siufi disse que a solução cobrada pela população é em torno da atual gestão. “O PMDB não tem nada que esconder de André e de ninguém. Já está sendo investigado. Tem que ver o atual governo. Se quiser fazer algo com abrangência, desde Zeca (do PT), de 19 anos atrás eu sou contra.

O relator da CPI, deputado estadual Flávio Kayatt (PSDB), afirma que tem escutado a cobrança da população sobre a investigação em cima de Azambuja. Mas ponderou: “Também escuto que por mais que demore é preciso abranger tudo que foi denunciado, se não, nosso trabalho fica pela metade. Temos que investigar a denúncia por completo”.

*Leia reportagem, de Gabriela Couto, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também