Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

investigação

CPI analisa pedir bloqueio
de bens da JBS para repor perdas

Deputados querem ainda discutir distribuição de recursos da leniência

24 AGO 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

A CPI analisa pedir o bloqueio dos bens da JBS, hoje estimado em R$ 500 milhões, para recuperar os prejuízos dos benefícios fiscais concedidos para investimentos em Mato Grosso do Sul.

A empresa confessou à CPI que não cumpriu dois Termos de Acordo de Regime Especial (Tares) sob investigações.

Além disso, a comissão parlamentar de inquérito vai pedir à procuradora-geral da República nomeada, Raquel Dodge, se os R$ 10,3 bilhões do acordo de leniência dos irmãos Joesley e Wesley Batista podem ser usados para repor alguma perda nos estados com plantas da JBS. 

Os parlamentares estão com os trabalhos avançados e devem ganhar três semanas com a decisão de solicitar uma posição do advogado da JBS José Wanderley Bezerra sobre a situação dos outros cinco frigoríficos. Isso porque a defesa tem adotado a estratégia de entregar confissão de descumprimento do termo das plantas um dia antes da visita dos deputados estaduais na unidade.

Assim, as vistorias nas próximas cinco unidades que estão programadas para receber a equipe da CPI podem não ocorrer.

 

Se a defesa assumir as irregularidades nas demais plantas como fez nas três primeiras, os trabalhos serão voltados para a conclusão do segundo Tare firmado na gestão do ex-governador André Puccinelli (PMDB).

Ontem, durante a reunião semanal da CPI, o presidente Paulo Corrêa (PR) antecipou os trabalhos em cima das notas fiscais do contrato referente ao boi em pé que saiu do Estado. 

*Leia reportagem, de Gabriela Couto e Izabela Jornada, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também