Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

conciliação

CPI admite substituir bloqueio
de dinheiro em troca de imóveis

Além de garantias reais, a comissão exige manutenção de empregos

19 OUT 2017Por DA REDAÇÃO07h:00

A CPI da JBS na Assembleia Legislativa, que investiga o não cumprimento de acordos em troca de benefícios fiscais, admite estudar o desbloqueio de R$ 730 milhões para salvar o emprego de 15 mil colaboradores diretos e 60 mil indiretos em Mato Grosso do Sul.

O grupo, dono da Friboi, suspendeu a operação de sete unidades de carne bovina no Estado por falta de liquidez para cumprir com suas obrigações com os pecuaristas e outras despesas.

A JBS está disposta a retomar as atividades em Mato Grosso do Sul em troca de garantias para ressarcimento dos prejuízos ao Fisco Estadual. A empresa propôs, segundo o presidente da CPI, deputado estadual Paulo Corrêa (PR), a substituição do bloqueio de dinheiro por imóveis. “É possível”, comentou Corrêa.

O parlamentar, no entanto, exige que o acordo seja fechado em audiência de conciliação na presença do juiz Alexandre Antunes da Silva, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos.

Corrêa advertiu que não aceitará chantagem da JBS de ameaçar fechar os frigoríficos em Mato Grosso do Sul. E para fechar acordo, ele colocará algumas condicionantes. Uma delas é da empresa retomar as atividades com a garantia de emprego e do abate de 100 mil reses por ano.

Para ele, não adianta a CPI abrir mão do desbloqueio de dinheiro para a empresa operar parcialmente.

*Leia reportagem, de Adilson Trindade, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também