Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Eleições

Comissão da Câmara vota regras para pesquisas eleitorais

16 AGO 15 - 22h:00Folhapress

Quase dois anos depois de chegar à Câmara, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Casa aprovou, na quinta-feira (13), projeto de lei que permite que partidos políticos possam questionar pesquisas eleitorais. A proposta agora segue para análise do plenário.

Agremiações, candidatos e o Ministério Público Eleitoral poderão pedir que a Justiça barre o registro ou a divulgação de pesquisas caso considerem que elas desrespeitam a legislação. Na prática, a proposta cristaliza em lei o que já vale hoje por meio de resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A regra exige que pesquisas sejam registradas na Justiça Eleitoral cinco dias antes de sua divulgação, que o responsável pelo pagamento da pesquisa seja divulgado, bem como os valores gastos, a metodologia e o período do levantamento, entre outros pontos. Caso qualquer desses itens seja desrespeitado, a pesquisa pode ser questionada.

O juiz eleitoral poderá então determinar a suspensão imediata da divulgação ou utilização dos resultados da pesquisa, em decisão provisória. Também pode exigir esclarecimentos na divulgação.

A proposta veio do Senado, e é de autoria de Ana Amélia (PP-RS), que defende a fixação das regras em lei para dar-lhes "estabilidade e legitimidade".

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Código de ética do PSDB isenta Aécio Neves de punição imediata
CORRUPÇÃO

Código de ética do PSDB isenta Aécio Neves de punição imediata

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Tribunal da Lava Jato bloqueia bens do MDB e do PSB

POLÍTICA

Deputados da AL são contra retirada do COAF do comando de Moro

Maioria da bancada federal de MS também votou a favor da mudança
CONGRESSO

Maioria dos deputados de MS votam para manter Coaf no Ministério da Justiça

Proposta transfere Coaf da pasta de Justiça para a de Economia

Mais Lidas