Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

eleição presidente

'Cabeça preta' declara apoio a Alckmin
e tenta aproximá-lo do MBL

15 SET 17 - 22h:00FOLHAPRESS

Membro da nova safra do PSDB, o deputado federal Daniel Coelho (PSDB-PE) viajou a São Paulo na quinta-feira (14) para declarar apoio a Geraldo Alckmin (PSDB).

O gesto ocorre no momento em que o governador paulista tenta se firmar candidato a presidente em meio à projeção nacional do prefeito João Doria (PSDB).

Coelho levou consigo o vereador paulistano Fernando Holiday (DEM), um dos representantes do MBL (Movimento Brasil Livre), que declara apoio a Doria na disputa presidencial de 2018.

A iniciativa de Coelho foi até agora a mais incisiva entre os "cabeças pretas", grupo de deputados jovens que se notabilizou ao cobrar a saída do PSDB do governo de Michel Temer (PMDB).

Justamente a posição mais crítica de Alckmin à permanência do partido no governo foi um dos fatores que contaram a seu favor no grupo.

Além disso, a disposição de Doria de se notabilizar nacionalmente, com viagens e declarações ambíguas, despertou um sinal de alerta.

"Eu acho que é delicado, mas a conquista de espaços partidários é legítima", disse a deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO). "Não sei se havia algum acordo entre eles, mas, até pelo bem do partido, acho que os dois devem chegar a um consenso."

Coelho disse a Alckmin que essa disputa tem de ser tratada como superada e que ele tem apoio da maioria da bancada tucana na Câmara.

Ao discutir estratégias para 2018, o "cabeça preta" sugeriu que, no Nordeste, o governador paulista trate como prioridade o problema da segurança. Até hoje, o tucano vem batendo na tecla do emprego e da renda.

"São Paulo é bem diferente da matança no Nordeste", notou. Pernambuco tem a pior taxa de assassinatos por cem mil habitantes do país (35), segundo o Atlas da Violência. São Paulo, com 12, foi o Estado com a maior redução de homicídios de 2005 a 2015.

Coelho argumentou que Alckmin tem de explorar esse desempenho, em contraponto a discursos, em sua avaliação, menos fundamentados na área da segurança como o de Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

DORIA E MBL

Em ambiente inóspito à classe política tradicional, Doria galgou posições com o apoio público do MBL, movimento que liderou protestos a favor do impeachment de Dilma Rousseff (PT), e de pelo menos um cabeça preta, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB-PB). "Ele tem aderência no PSDB e consegue dialogar com a sociedade", justificou.

Holiday disse que se restringiu a temas de governo na audiência com o governador. "Eu não entrei em questões relacionadas a 2018, até porque o movimento é mais próximo a Doria e nessa briga não entramos de cabeça ainda", disse o vereador.

"A menos que Alckmin mude de perfil, isto é, faça uma campanha mais inovadora, creio que a imagem dele será naturalmente ligada à classe política já estabelecida. Do ponto de vista do eleitorado e da popularidade, ele já começa com dificuldade, não sei se terá grandes chances", conclui Holiday.

O PSDB e outros partidos como o DEM de Holiday têm tentado se aproximar de movimentos civis como o MBL.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PSD está sem pressa para definir alianças para prefeitura
ELEIÇÕES 2020

PSD está sem pressa para definir alianças para prefeitura

Bolsonaro diz que propôs mudanças em reforma administrativa e que foi atendido
EM VIAGEM À ÍNDIA

Bolsonaro diz que propôs mudanças em reforma administrativa e que foi atendido

Com maiores salários, Tribunal de Justiça poderá ter mais três desembargadores
MATO GROSSO DO SUL

Com maiores salários, Tribunal de Justiça poderá ter mais três desembargadores

REFORMA

Reformas tributária e administrativa podem ir juntas ao Congresso

Bolsonaro está com a delegação em missão na Índia

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião