Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

MUDANÇAS

Bolsonaro pode deixar PSL e deputado deve acompanhá-lo

O parlamentar de Mato Grosso do Sul Coronel David é amigo de Jair e tem tido problemas na sigla

9 OUT 19 - 08h:30YARIMA MECCHI

A fala do presidente Jair Bolsonaro (PSL) a um apoiador do partido para que esqueça a sigla frisando que o presidente nacional da agremiação e deputado, Luciano Bivar (PE), está queimado repercutiu na imprensa nacional ontem como um indício declarado que o líder maior deve deixar o partido. A possível ida de Bolsonaro para outra agremiação pode beneficiar o deputado estadual Coronel David, amigo pessoal do presidente, que não tem tido espaço com os liberais sul-mato-grossense. 

Conforme noticiado pela imprensa nacional, ao ser abordado por um apoiador na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília, pediu a ele que “esquecesse” o partido e afirmou que o presidente da legenda, o deputado Luciano Bivar (PE), “está queimado para caramba”. 

“Esquece o PSL, esquece o PSL, tá ok?”, cochichou Bolsonaro no ouvido do apoiador que o esperava ontem para gravar um vídeo.

Ainda assim, o homem gravou um vídeo junto ao presidente em que diz: “Eu, Bolsonaro e Bivar, juntos por um novo Recife”. Bolsonaro, então, pediu para que ele não divulgasse a gravação. “Oh, cara, não divulga isso não. O cara (Bivar) está queimado para caramba lá. Vai queimar o meu filme também. Esquece esse cara, esquece o partido”, disse. 

De acordo com o Estadão Conteúdo, o partido é alvo de disputas internas e sua bancada na Câmara dos Deputados está dividida, com ameaça de debandada. O comando de Bivar é contestado por aliados de Bolsonaro, que tentam tomar as rédeas da sigla tendo em vista as eleições municipais do ano que vem.

O partido terá a maior fatia do fundo eleitoral, dinheiro público que vai financiar as campanhas de candidatos a prefeitos e vereadores. 

A situação em Mato Grosso do Sul não é diferente, conforme informações apuradas pelo Correio do Estado, o presidente nacional teria garantido para o deputado Coronel David que ele continuaria como presidente da sigla no Estado, porém o cargo ficou com a senadora Soraya Thronicke. O deputado alega falta de espaço na sigla, além de ataques pessoais de pessoas ligadas diretamente a presidente. 

No último episódio, o Coronel chegou a fazer uma denúncia formal na polícia por fakenews onde um integrante do PSL é suspeito de produzir e divulgar um vídeo alegando que o parlamentar que fez a indicação para o ex-senador Delcídio do Amaral (atual PTB) receber a medalha de Mérito Legislativo, sendo que na verdade o deputado responsável foi Neno Razuk (PTB). 

David vem expondo sua insatisfação com as ações da presidente  do PSL em Mato Grosso do Sul e com a possível migração de Bolsonaro seria uma liderança mais forte em outra sigla. 

Conforme informações que circuladas nos bastidores da política, o atual presidente do Brasil estaria articulando para a criação de um novo partido e com isso conseguiria levar seus apoiadores com mandato que não tem direito a janela partidária em 2020.

Procurado para comentar a possível saída de Bolsonaro, David não quis comentar o assunto.  

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir, rebateu Jair Bolsonaro, que aconselhou a um apoiador que esquecesse seu partido.

“Como você fala do quintal alheio se o seu quintal está sujo? As candidaturas em Minas Gerais e Pernambuco estão sendo investigadas. Mas o filho do presidente também”, afirmou Waldir.

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

POLÍTICA

ACM Neto nega fusão do DEM com o PSL: 'Não tem sentido se envolver na confusão'

Maia defende reforma tributária para combater desigualdade
BRASIL

Maia defende reforma tributária para combater desigualdade

Convocado, ministro do Turismo depõe sobre candidaturas-laranja do PSL
BRASÍLIA

Convocado, ministro do Turismo depõe sobre candidaturas-laranja do PSL

POLÍTICA

Senado deve concluir terça-feira votação de mudanças na Previdência

Projeto precisa alcançar o mínimo de 49 votos favoráveis

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião