Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Eleições 2018

Bolsonaro diz que não será candidato,
mas quer estar pronto para o partido

Deputado participou de comemoração da Retirada da Laguna, em Nioaque

13 JUL 2017Por IZABELA JORNADA12h:00

Ao ser questionado sobre eleições para presidência da República em 2018, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC), negou sua candidatura. "Por ser homem da lei, não posso transgredi-la", disse durante comemoração da Retirada da Laguna, hoje, no município de Nioaque.

Porém, as atitudes do parlamentar deixam subentendida a possibilidade de ser um dos candidatos à presidência.

"Esse valor será duplicado em 2019", disse ele ao assinar, como testemunha, documento de licitação do Governo do Estado que libera recursos para obras em Nioaque. Bolsonaro declarou também que quer estar pronto caso o partido considere o nome dele para futuro candidato do PSC.

CONGRESSO NACIONAL
Jair Bolsonaro disse ser independente no Congresso Nacional e que não concorda com a forma como estão fazendo política. "Não tenho relacionamento com Congresso, mas não tenho animosidade com ninguém", declarou.

MICHEL TEMER
Sobre a possível condenação do presidente da República, Michel Temer (PMDB), Bolsonaro disse que seu voto será a favor do seguimento do processo. "Não compactuo com a corrupção, então você já sabe qual vai ser meu voto", disse.

O deputado acredita que o processo contra Temer não deva ser votado até amanhã, no Congresso Nacional, como está previsto.

CONDENAÇÃO LULA
Sobre a condenação proferida pelo juiz Sérgio Moro, em primeira instância, do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, Bolsonaro declarou que Lula está "colhendo o que plantou". "Ele abusou do patrimônio da União", comentou.

OPERAÇÃO LAVA JATO
Considerando enérgica, porém necessária, o deputado federal disse que a Operação Lava Jato não caracteriza abuso da parte de autoridades, como a Polícia Federal e o Ministério Público. "Não houve abuso de autoridade nenhuma. Tem que tratar com energia. A cúpula política não está acostumada com isso", declarou.
 

CENÁRIO POLÍTICO
Por fim, Bolsonaro elogiou a atuação do juiz Sérgio Moro. "O ensinamento que temos é de que, por meio de um excepcional juiz, o Brasil tem que ter nova forma de fazer política", declarou.

"Comprando parlamento é comprovado que não deu certo. Falam que eu sou ditatorial, mas voto comprado não é democracia", concluiu.


POLÊMICAS
Criticado por muitos sobre algumas declarações em público, consideradas polêmicas, Bolsonaro se defende dizendo que criticam sem fundamentos. "Só porque eu falei que atiro bem? O militar que não está treinado para atirar bem tá errado. Mesma coisa falar que o médico não está preparado para salvar vidas", comparou.

O parlamentar fundamentou dizendo ser de artilharia. "E não sei porque esse clamor de alguns de que esse cara é do mal", disse.

O parlamentar garantiu que vai governar o Brasil com "mão de ferro". "Autoridade. Nós tivemos bananas, mas bandidos governando o Brasil nos últimos tempos".

Sobre o desarmamento da população, Bolsonaro declarou que não é a favor. "O vagabundo já está armado porque você não pode ter arma em casa? Você gostaria de ter uma arma? Entre nós dois aqui, quem ganha na pancada? E você com arma na cintura? Então, vai acabar com essa história de feminicídio porque essa frescura não protege a mulher de nada".

HOMOSSEXUALIDADE
"Cada um vai ser feliz como bem entender, mas eu não posso admitir que criancinha assista filme pornográfico homossexual na escola . Qual pai vai concordar? E aí as pessoas não podem dizer que estou errado e me chamam de homofóbico. Mas o que que é homofóbico? É quem persegue, mata, espanca alguém. Já viu eu fazer isso com algum gay? Nada a ver", se defendeu.

Leia Também