Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

citado por executivo

Azambuja solicita ao STF que Fachin
deixe a relatoria da delação da JBS

Defesa do governador entrou com petição hoje

6 JUN 2017Por G1, COM DA REDAÇÃO16h:02

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ministro Luiz Edson Fachin deixe a relatoria da delação da JBS. Fachin decidiu levar ao plenário da Corte a análise da questão. Conforme o site do STF, a pauta já foi encaminhada para a pauta e pode ser votada ainda nesta semana.

A petição foi protocolada hoje e o documento tem 20 folhas. Aparecem como requeridos na ação o Ministério Público Federal e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Com isso, caberá aos 11 ministros da Corte definir se Fachin continua como relator dos inquéritos ligados à colaboração de sete executivos da JBS no âmbito da Operação Lava Jato.

Fachin é o relator da Lava Jato no STF e homologou as delações no mês passado. O conteúdo dos depoimentos foi divulgado após o sigilo sobre as informações ter sido retirado pelo ministro.

No pedido ao Supremo, Azambuja alega que o caso não tem ligação com os desvios na Petrobras e, portanto, com a Lava Jato.

Segundo os delatores da JBS, Reinaldo Azambuja recebeu R$ 38 milhões em propina. Um documento aponta que as negociações começaram na campanha eleitoral de 2010. O governador nega, chama as acusações de "mentiras deslavadas" e as considera um "absurdo".

Como governadores não são processados no STF, Fachin enviou as informações ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

*Editada às 18h17 para atualização de informação.

 

Leia Também