Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MATO GROSSO DO SUL

De olho nas eleições, Assis e diretor-presidente da Funtrab deixam cargos no governo

Governador nomeou ex-superintendente da Sudeco para a autarquia
03/06/2020 08:13 - Adriel Mattos


O secretário especial de Governo, Carlos Alberto de Assis, e o diretor-presidente da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), Enelvo Felini, foram exonerados de seus respectivos cargos. Os atos, assinados pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), foram publicados na edição desta quarta-feira (3) do Diário Oficial Eletrônico (DOE).

Ambos do partido do chefe do Executivo, Assis é apontado como eventual companheiro de chapa na candidatura à reeleição do prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), ou como postulante tucano ao Paço Municipal; e Enelvo vai tentar retornar à prefeitura de Sidrolândia.

O governador não nomeou substituto para a função de Assis. Já para a Funtrab, o chefe do Executivo indicou Marcos Derzi. Ele comandou a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) entre 2018 e 2019.

 
 

Filiado ao PSDB desde 2007, Assis foi diretor-presidente da Fundação Social do Trabalho (Funsat) de Campo Grande e deixou o cargo em 2012 para trabalhar na campanha de Azambuja à prefeitura. Dois anos depois, esteve ao lado do então candidato ao governo e foi nomeado secretário de estado de Administração e Desburocratização no primeiro mandato do atual governador.

Assis deixou o cargo em 2016 para coordenar a campanha da então vice-governadora e atual deputada federal Rose Modesto à prefeitura da Capital, retornando após o segundo turno, que resultou na eleição de Marcos Trad. Após a reeleição de Azambuja, o então secretário passou a atuar como secretário especial no gabinete do governador.

Já Enelvo foi prefeito de Sidrolândia entre 1997 e 2004. Chegou a ser eleito pela terceira vez para o cargo em 2012, mas o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) cassou seu mandato. Dois anos depois, se tornou suplente da coligação de Azambuja para a Assembleia Legislativa.

Assumiu o comando da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) em 2015, e deixou o posto em 2017 para assumir uma cadeira na Casa de Leis após a renúncia de Flávio Kayatt (PSDB), que foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MS).

Concorreu novamente a deputado estadual, mas não foi eleito. Em junho de 2019, foi nomeado diretor-presidente da Funtrab.

 
 

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...