POLÍTICA

Após desentendimento, deputados do G10 entram em consenso

Divergências aconteceram na última semana entre Gerson Claro e demais integrantes
07/05/2019 11:43 - IZABELA JORNADA


 

Deputados do G10 apararam as “arestas” em reunião e entraram em consenso após desentendimento, que aconteceu na última semana, entre o vice líder, Gerson Claro, e alguns integrantes do maior grupo de parlamentares da Assembleia Legislativa.

Antes de iniciar a sessão desta terça-feira (7), os dez integrantes se reuniram no gabinete do líder do grupo, Londres Machado e os “ânimos foram acalmados”.

Gerson Claro disse que se arrepende e que agiu de forma errada, porque ele analisou que não havia quórum na ocasião em que matéria seria votada em sessão extraordinária, e que, por esse motivo, decidiu votar contra a abertura de nova sessão. “Pedi desculpa lá na reunião e tá tudo certo”.

“A conversa foi boa e é necessário renunciar a vaidade”, afirmou o deputado João Henrique Catan (PR), ao se referir a atitude de Gerson Claro, em que o vice-líder não consultou demais integrantes em momento de votação.

Outro deputado que estava insatisfeito e que chegou a ameaçar sair do grupo, Evander vendramini (PP), também reconsiderou seu posicionamento. “Houve uma insatisfação pela forma como Gerson Claro conduziu uma situação, mas foi tudo resolvido. Divergências acontecem até dentro de uma família”, disse o deputado Vendramini.

O líder do G10 justificou o conflito alegando que houve divergência regimental e que Gerson Claro não soube manter o diálogo. “O regimento autoriza sessão extraordinária desde que seja matéria realmente urgente, mas o líder e o vice-líder precisa ter a maioria com ele, é necessário ter bom relacionamento com todos”, declarou Machado.

A Casa de Leis tem em sua composição dois grupos de deputados que se organizaram, no início da legislatura, com o objetivo de garantirem representatividade em comissões importantes dentro do legislativo, o G9 e o G10.

No G10, os integrantes são: Gerson Claro, Neno Razuk, João Henrique Catan, Coronel Davi, Herculano Borges, Evander Vendramini,  LondresMachado, Lucas de Lima, Capitão Contar e Antônio Vaz .

Integrantes do G9: Jamilson Name (PDT), Renato Câmara (MDB), Zé Teixeira (DEM), Lídio Lopes (Patriotas), José Carlos Barbosa (DEM), Márcio Fernandes (MDB), Eduardo Rocha (MDB), Cabo Almi (PT) e Pedro Kemp (PT).

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".