Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Toque de recolher: PM aponta redução de 77% nos roubos

Restrições para impedir o avanço do coronavírus, também fizeram a criminalidade cair
24/03/2020 12:18 - Daiany Albuquerque


 

A população de Campo Grande está proibida de sair de casa das 22h até às 5h, com exceção a casos especiais, desde sábado (21), por conta da pandemia do Covid-19, o novo coronavírus. Além disso, comércios estão fechados e a orientação é que as pessoas fiquem em casa o máximo possível. Com a redução de pessoas circulando, também caíram o número de roubos na Capital.

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), de sábado até esta terça-feira (24) foram registrados apenas 10 roubos em Campo Grande. Redução de 77% em relação ou que foi registrado no mesmo período do ano passado, quando ocorreu 45 roubos.

Conforme o comandante da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, coronel Waldir Ribeiro Acosta, a corporação aumentou o efetivo nas ruas para garantir que apenas pessoas que estejam trabalhando ou que necessitem se deslocar de um ponto ao outro estejam na rua neste intervalo de tempo.

São 180 policiais a mais nas ruas da Capital, vindos da escola de sargentos da PM, segundo o comandante. “São quatro equipes atuando em turno para fazer rondas e ajudar a reduzir os índices de criminalidade”, declarou.

O comandante da corporação lembrou também que durante o fim de semana a Polícia Militar prendeu uma quadrilha que estava praticando roubos pela cidade, o que também colaborou para a redução desses números.

Entretanto, apesar das reduções, Acosta alerta para os roubos à residência, que podem ser perigosos pelo fato das famílias estarem mais nas suas casas. “A criminalidade continua agindo, nós conseguimos reduzir alguns índices, assim como no ano passado, mas as pessoas têm que estar alerta em suas casas, em locais abertos. É ainda mais perigoso porque elas estão dentro de casa”.

“Reparamos que desde que a doença chegou em Campo Grande houve redução, aos poucos, da população na rua. Com o passar do tempo as pessoas entenderam a gravidade e começaram a ficar mais em casa, isso ajuda”, completou o comandante.

Apesar da queda nos roubos, os furtos tiveram aumento de 35%. De sábado até hoje foram 51 crimes deste tipo, contra 33 no mesmo período de 2019, conforme os boletins de ocorrência registrados na Capital.

Segundo o coronel da PM, algumas medidas podem ajudar a população a evitar ou reduzir as chances de serem vítimas desses crimes, principalmente os que necessitam se deslocar durante a noite, quando não há pessoas nas ruas.

“As pessoas devem observar se não estão sendo seguidas, carregar pouco dinheiro ou nenhum consigo e optar pelo cartão, não usar muito o celular em locais abertos, não deixar bolsas e notebooks dentro de veículos. Com essas medidas as pessoas já auxiliam muito nosso serviço”, exemplificou.

OUTROS NÚMEROS

Em relação aos crimes contra a vida, houve redução também nos casos de violência doméstica, que caíram mais de 50%. Foram nove casos registrados de sábado até esta terça-feira, contra 19 no mesmo período do ano passado.

Já em relação aos casos de homicídio doloso, quando há intenção de matar, neste período em que o toque de recolher está em vigor, nenhum caso foi registrado. Este é o primeiro fim de semana deste mês sem que um caso sequer aconteça. 

O mesmo em relação aos homicídios culposos no trânsito. Nesses quatro dias nenhuma ocorrência deste tipo foi registrada, enquanto nos dois primeiros fins de semana aconteceram uma morte em cada.

 

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.