Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GUERRA AO CRIME

Quadrilha que usava carros alugados para contrabandear cigarros é alvo da PF

Grupo movimentou mais de 200 mil maços pela fronteira
11/10/2019 09:58 - RAFAEL RIBEIRO


A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (11) a Operação Smoke Rent, que tem como objetivo desmantelar organização criminosa dedicada ao crime de contrabando de cigarros com o uso de veículos alugados. 

Cerca de 45 policiais federais estão cumprindo dez mandados de busca e apreensão  na cidade de Curitiba e região metropolitana da capital paranaense. As ordens judiciais foram expedidas pela 9ª Vara Federal da cidade.

A suspeita é de que um grupo de oito pessoas, na tentativa de burlar a fiscalização nas rodovias  e evitar a apreensão de carros próprios por forças policiais e pela Receita Federal, utilizava carros alugados para a prática de contrabando de cigarros importados oriundos do Paraguai. 

Foram detectados 20 veículos com os quais foram feitas ao menos 25 viagens ao exterior, entre os meses de março e outubro de 2019.

A identificação do modus operandi deu-se a partir de uma sequência inusitada de prisões em flagrante realizadas pela Polícia Federal no Paraná, que passou a realizar junto à Delegacia de Repressão a Crimes contra o Patrimônio um cruzamento de dados focado no aspecto financeiro e na descapitalização da criminalidade organizada.

A estimativa é de que o grupo tenha transportado cerca de 200 mil maços de cigarros no período investigado, com evasão de mais de R$ 1 milhão em tributos e multas junto à Receita Federal.

As penas relacionadas a contrabando e organização criminosa podem chegar a oito anos de prisão.

Felpuda


Mensagens trocadas por aí mostram que deverá “virar moda” políticos anunciarem que testaram positivo para a Covid-19. E sem medo de dizer que isso é porque o presidente Jair Bolsonaro anunciou ter sido infectado, e aí essa tchurminha estaria interessada também em ganhar holofotes. Porém, ressaltam que, como não se pode duvidar de coisa séria, o jeito é desejar “restabelecimento”. E não deixam de lembrar que o risco é a população descobrir que não fazem a menor falta. Essa gente...