Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

ROUBO A BANCO

Quadrilha que orquestrou roubo gastou R$ 1 milhão para executar plano

Valor se refere a pagando de pessoas que cavaram o túnel, aluguel de imóveis e outras contas

23 DEZ 19 - 17h:18DAIANY ALBUQUERQUE

A quadrilha presa em flagrante tentando invadir o cofre da Central do Banco do Brasil, localizado no bairro Coronel Antonino, em Campo Grande, gastou cerca de R$ 1 milhão para executar o plano de cavar um túnel até o cofre do local. A informação é da Polícia Civil.

Em coletiva realizada na manhã desta segunda-feira (23) a Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras) apresentou os detalhes sobre como era a operação do grupo, que era investigado pela polícia há seis meses.

De acordo com o delegado do Garras João Paulo Sartori, a quadrilha teria gasto em torno de R$ 1 milhão para estruturar toda a ação. O valor se refere a pagamento das pessoas que cavaram o túnel, aluguel de imóveis que a quadrilha tinha pela cidade, contas de água e luz que teriam sido criadas por meio de documentos falsos, alimentação, entre outras coisas. A polícia estima que cerca de 25 pessoas estejam envolvidas na tentativa de roubo.

Conforme o delegado, a ação da polícia pode ter evitado o que seria o maior roubo a banco do Brasil, já que a estimativa é de que aproximadamente R$ 300 milhões pudessem ser levados caso o roubo fosse concretizado.

Ao todo sete pessoas foram presas durante a ação e outros dois ficaram feridos em troca de tiros com a polícia na madrugada de domingo (22). Alguns membros do grupo estão foragidos.

O imóvel alugado pelo grupo, localizado na rua Minas Gerais, em uma rua lateral à agência bancária, é um galpão cercado por empresas, o que ajudou a não chamar a atenção das pessoas que trabalham ou moram na região.

“Eles alugaram o local com uso de documento falso e, a princípio, o proprietário não tinha conhecimento da ação criminosa. Depois, eles fizeram uma porta para tampar a vista da edícula e, em seguida, começaram a cavar túnel”, contou Sartori.

Para cavar o túnel, que já tinha cerca de 70 metros de extensão e seis de profundidade, os criminosos usaram ferramentas manuais para fazer o mínimo de barulho. Um macaco hidráulico foi utilizado para que o piso da sala onde o dinheiro estaria guardado fosse rompido sem que chamasse a atenção. Toda a terra que foi retirada das escavações estavam armazenadas em sacos no galpão da casa.

Um dos mentores da ação, Renato Nascimento, 42 anos, foi morto durante a ação da polícia. O outro bandido que morreu foi José Willian Nunes Pereira da Silva, de 48 anos.

Elaine Goulart de Cursio, 36 anos; Gilson Aires da Costa, 43 anos; Francisco Marcelo Ribeiro, 41 anos; Laurinaldo Belizário de Santana, 51 anos; Wellington Luiz dos Santos Júnior, 28 anos; Robson Alves do Nascimento, 50 anos; e Bruno Oliveira de Souza, de 30 anos, foram presos. O último está internado na Santa Casa por ter sido baleado na mão durante confronto.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Corpo de adolescente que estava desaparecida é encontrado
CRIME

Corpo de adolescente que estava desaparecida é encontrado

Polícia paraguaia recaptura mais dois fugitivos de penitenciária
FUGA EM MASSA

Polícia paraguaia recaptura mais dois fugitivos de penitenciária

Coordenador de fronteiras não crê que fugitivos do Paraguai estejam no Brasil
FUGA EM MASSA

Coordenador de fronteiras não crê que fugitivos estejam no Brasil

Diretor e agentes são presos na mesma penitenciária que trabalhavam
FUGA EM MASSA

Diretor e agentes são presos na mesma penitenciária que trabalhavam

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião