FUGA EM MASSA

Polícia paraguaia prende mais um fugitivo de penitenciária na fronteira

Número de detentos recapturados subiu para dez
25/01/2020 15:34 - ADRIEL MATTOS


 

A Polícia Nacional do Paraguai prendeu na tarde deste sábado (25) Francisco Javier Jara Peralta Esquivel, de 26 anos, que fugiu com outros 74 detentos da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero, cidade vizinha a Ponta Porã, cidade do sudoeste de Mato Grosso do Sul. De acordo com o site Porã News, “Mascherano”, como é conhecido, foi condenado por homicídio em 2011 e estava preso desde 2014.

Esquivel foi localizado em um inquilinato de Ponta Porã. Ele foi encaminhado para a  sede da Divisão de Investigações Criminais da Polícia Nacional do Paraguai, onde vai aguardar transferência para uma penitenciária. Com esta prisão, já são dez fugitivos recapturados.

A FUGA

Na madrugada de domingo (19), 75 presos, a maioria deles ligados ao PCC, fugiram da penitenciária paraguaia. Eles cavaram um túnel de 25 metros de extensão para escapar da prisão. 

Forças de segurança federais e estaduais foram mobilizadas do lado brasileiro da fronteira. Várias caminhonetes foram encontradas queimadas na BR-463, entre Ponta Porã e Dourados. 

A maioria dos fugitivos do presídio paraguaio tem nacionalidade brasileira. O Ministério da Justiça apontou que os criminosos corromperam os agentes penitenciários do Paraguai.

Na quarta-feira (22), o Senado do Paraguai decretou estado de exceção por 45 dias no departamento (equivalente a estado) de Amambay, cuja capital é Pedro Juan Caballero. Com isso, o governo do país vizinho amplia seus poderes para capturar os fugitivos e processá-los com mais rapidez.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".