Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TERROR NO PARAÍSO

Homem que seguia mulheres e mostrava órgão genital é preso em Bonito

Presença de 'taradão' nas ruas já era alertada na internet
09/09/2019 09:57 - RAFAEL RIBEIRO


A Policia Civil de Bonito prendeu, na sexta-feira (6), um homem de 21 anos, acusado de seguir e importunar sexualmente mulheres no município. O pervertido tirava o seu órgão genital para fora da calça, sem nenhum tipo de pudor.

A polícia chegou até o acusado através  de uma denúncia feita por uma das vítimas, uma auxiliar de cozinha de 32 anos, que por três dias consecutivos foi seguida pelo acusado, que em todas as vezes a abordou em via pública, sempre dizendo palavras pejorativas e mostrando seu órgão genital.

Segundo a vítima, que ficou em estado de choque, em todas as vezes após a prática criminosa o homem saia rindo dela.

O caso repercutiu nas redes sociais, onde usuários alertavam a população para a ação de um maníaco sexual, provocando pavor entre moradores e turistas da cidade.

Após receber a denúncia, no início da manhã de sexta-feira, os investigadores saíram em diligências e localizaram o acusado justamente na porta do fórum da cidade, onde a oportunidade se fez melhor do que o previsto e ele já ficou preso. 

Ao ser interrogado, o homem confessou ter abordado várias mulheres e que a prática criminosa estava sendo constante.

Segundo o acusado, as vítimas eram escolhidas aleatoriamente, preferencialmente em ruas desertas e perto de terrenos baldios. 

O homem admitiu que a intenção era estuprar as vítimas, porém não o fez porque faltou coragem.

Ele foi preso e autuado em flagrante pelo crime de importunação sexual e, caso seja condenado, pode pegar entre 1 e 5 anos de prisão.

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?