Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LEO VERAS

Fugitivos de presídio podem ter matado jornalista na fronteira

Suspeitos estariam ligados a narcotraficante
17/02/2020 19:01 - Fábio Oruê


 

Investigação do Ministério Público do Paraguai suspeita que um grupo de fugitivos do presídio de Pedro Juan Caballero (PY) assassinou o jornalista Lourenzo “Leo” Veras, de 52 anos, segundo publicou o jornal paraguaio ABC Color. Veras foi morto enquanto jantava com a família na última quarta-feira (12), em Pedro Juan, na fronteira com Ponta Porã. 

Os promotores preferiram não entrar em detalhes, mas informações dizem que o grupo está ligado ao líder do narcotráfico Sérgio de Arruda Quintiliano Neto, o Minotauro. O porta-voz da equipe de investigação, o promotor Marcelo Pecci, não confirmou, nem descartou a versão e apenas indicou que esta é uma das versões que eles investigam. 

Os suspeitos escaparam da penitenciária de Pedro Juan durante o fuga em massa ocorrida em janeiro deste ano e foram processados ​​por associação criminosa e violação da lei das armas, fazendo parte dos 15 presos relacionados à estrutura do Minotauro, de acordo com o ABC Color.

O jornalista dirigia o site Porã News e cobriu investigações sobre o tráfico de drogas na fronteira. Ele já havia relatado que havia recebido ameaças de morte e dois dias antes de seu assassinato, segundo seus familiares, recebeu novas ameaças, mas que não as denunciou.

 

Felpuda


O sumiço de algumas figurinhas carimbadas da política não acontece em virtude da necessidade de isolamento como uma das formas de prevenção à pandemia. Em verdade, seria porque não têm mesmo o que e a quem falar. Com o advento das redes sociais, quem acha que fazer campanha eleitoral continua como na época do “eu prometo” está a um passo de ver o sonho de conquistar mandato se transformar em pesadelo. Pelo jeito, não estão nem conseguindo dormir.