Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CENÁRIO DE GUERRA

Dois agentes penitenciários são presos por ajudar em fuga do chefao do CV

Policial também é investigado por ajudar em ação que deixou agente morto
12/09/2019 10:43 - RAFAEL RIBEIRO


 

Dois agentes penitenciários foram presos na noite de quinta-feira (11) acusados de facilitarem a ação de resgate do líder do Comando Vermelho, Jorge Teofilo Samudio González, o Samura, 47 anos, que deixou um poliial morto em Assunción, no Paraguai.

Segundo a imprensa paraguaia, os agentes estariam envolvidos no planejamento e resgate de Samura. Na casa deles, os policiais encontraram dinheiro e vários chips e celulares, com evidências da participação deles.

Segundo o site ABC Color, outro guarda está sendo investigado por ter fornecido um aparelho celular para o narcotraficante fazer ligações quando estava em fuga. Os celulares apreendidos passam por perícia.

Samura era um dos narcotraficantes mais procurados no Paraguai nos últimos anos. Ele chegou a ser cercado por agentes da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) em 2011, em uma pista clandestina na cidade de Concepcion, mas conseguiu fugir. Na ocasião, os agentes apreenderam 370 quilos de cocaína. Ele só foi preso em outubro de 2018, em Bella Vista do Norte, que também faz fronteira com Mato Grosso do Sul.

O traficante estava detido no Presídio de Emboscada e, na manhã de quarta, ele estava sendo levado o Tribunal de Assunção, junto com outros presos, para audiência preliminar, quando o veículo penitenciário foi interceptado por criminosos armados.

Os bandidos atiraram contra a equipe que fazia escolta e, no tiroteio, o policial foi ferido. Ele morreu horas depois no Hospital Central de Polícia.

O narcotraficante conseguiu fugir no resgate, junto com outros nove presos que estavam no veículo sendo escoltados. Destes, cinco foram recapturados, mas o suposto integrante do Comando Vermelho está foragido.

Felpuda


Tudo indica que o MDB não conseguiu convencer o PSDB de iniciar namoro com vistas a casamento nas eleições, e a ideia teria sido descartada. Os tucanos demonstraram que o problema deles não é o cargo: os emedebistas ofereceram a vaga de vice na disputa à Prefeitura de Campo Grande, a mesma cobiçada pelos tucanos, mas na chapa do PSB do atual prefeito. A questão, politicamente falando, seria, digamos, o oferecido “noivo”. Afe!