Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ARTIGO

Venildo Trevizan: "O desejo do eterno"

Frei
09/11/2019 02:00 -


O ser humano é, por sua índole, um pesquisador audacioso e um estudioso sempre atento aos acontecimentos e às novidades que se sucedem pelo caminho da vida. É um permanente desejoso de sabedoria e novos conhecimentos.

O pensar humano só não o satisfaz. Busca incansavelmente o sobrenatural. Nele se esforça em descobrir valores que lhe garantam mais segurança no percurso de sua existência, mesmo que se revelem como limites, ou como interrogações que queiram interferir em suas pesquisas e em seus questionamentos.

Tudo a ver com o dia a dia da vida. Tudo a ver com suas limitações e suas fraquezas mentais e espirituais. Não satisfeito com essas imperfeições, passa a alimentar o desejo do eterno. Para alguns não passaria de um sonhador, mas para outros seria visto como estudioso incansável e honesto com suas limitações.

O temporário não preenche seus anseios. Quer algo mais desafiador. Quer algo que abra novos horizontes a conquistar e a realizar. Quer algo que lhe proponha novas ideias a elaborar e novos conteúdos a alimentar e a desenvolver. Pois esse ser humano é, por natureza, um ser insaciável. Necessita constantemente de novidades. Não novidades comuns, mas novidades que desafiem sua capacidade de discernir entre o que seja bom e o que não seja.

Discernir entre o bem e o mal também envolve raciocínios mais apurados e mais audaciosos. Não poderá contentar-se com opiniões pessoais ou alheias tão somente. Precisará de estudos e de profundas reflexões. Pois precisará ter clara a diferença entre verdade e falsidade. A superficialidade apenas satisfaz curiosidades e aventuras.

O estudo e a reflexão, ao contrário, conduzirão para um pensar mais sério e mais envolvente. Além desse estudo constante e dessas reflexões questionadoras, haverá mais um passo a ser dado. A ação dainteligência é importante, mas não definitiva. É preciso abrir a porta da fé. Somente a fé garantirá respostas às inquietações e segurança nas buscas do definitivo e do eterno.

A razão resolve muitos problemas, elabora muitas respostas – mas não serão suficientes. Por isso, o coração de qualquer ser humano viverá inquieto enquanto não chegar ao íntimo do coração de Deus. O mundo material será sempre insuficiente. O pensar humano será sempre incompleto. Só o caminho da fé garantirá a segurança naquilo que esteja buscando para sua realização plena e feliz.

A grandeza do viver não estará no suporte da razão, mas na firmeza da fé. A razão é a força que conduz até a porta da plenitude. Mas quem abre essa porta será a fé. Sem ela, o ser humano estará andando na dúvida e na insegurança. Não terá certeza de nada. Nem mesmo os estudos e as pesquisas lhe darão segurança. Seu viver futuro será uma terrível incógnita.

Somente a fé lhe abrirá caminhos seguros, lhe dará um olhar sereno, lhe proporcionará ambiente ameno para um coração feliz. E perceberá que Deus caminha a seu lado, garantindo que esse caminho está conduzindo para o eterno.

 

Felpuda


O sumiço de algumas figurinhas carimbadas da política não acontece em virtude da necessidade de isolamento como uma das formas de prevenção à pandemia. Em verdade, seria porque não têm mesmo o que e a quem falar. Com o advento das redes sociais, quem acha que fazer campanha eleitoral continua como na época do “eu prometo” está a um passo de ver o sonho de conquistar mandato se transformar em pesadelo. Pelo jeito, não estão nem conseguindo dormir.