Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ARTIGO

Venildo Trevizan: "Chamados a viver"

Frei

25 MAI 19 - 02h:00

Somos seres vivos. Somos seres racionais e humanos. Somos chamados a interpelar constantemente a maneira de viver. Somos convocados a encontrar um ambiente que seja favorável àquilo que possa servir de garantias de um viver feliz. Somos perseguidores da felicidade.

Existem muitos seres vegetando e poucos realmente vivendo. Existem muitos esquecendo de serem humanos. Assumem atitudes e comportamentos que destoam com aquilo que cada qual deveria ser e a maneira com que deveria tratar os demais.

Assumem atitudes demasiadamente arrogantes. Demonstram situações de revolta, de insatisfação e de ira. Poderiam ser diferentes. Poderiam ser mais equilibrados e mais sensatos, sem precisar apelar para tão mesquinha arrogância e prejudicando a convivência entre irmãos.

Não custa ser mais humilde em seu falar, mais modesto em seu agir e mais autêntico em seu partilhar. Não custa cultivar o hábito da sensibilidade, da compreensão com os mais fracos. Sabemos que todo o coração vivencia e tenta elaborar bons sentimentos e bons costumes.

Não existe coração maldoso. Por maior que seja o mal praticado, ou a destruição provocada, o íntimo do autor possivelmente se declarará inocente. Não seria essa a razão e não seria esse o motivo que levaria a assumir certos comportamentos que em nada condizem com seus anseios. A consciência é o recanto dos segredos.

Todo o ser humano é naturalmente bom. Foi gerado num ventre materno. Foi amado ou rejeitado desde esse ventre. Foi cercado de carinho ou de indiferença. Foi crescendo no mesmo mundo que os demais. Teve muitas oportunidades de definir seu caminho, seu modo de pensar e suas decisões.

Não será fruto do ambiente porque teve e terá sempre oportunidade de expressar o livre arbítrio e criar uma forma de vida tal que poderá ser orgulho para quem conviver. A realidade do mundo poderá influenciar tanto para o bem quanto para o mal. Poderá contribuir na escolha de um viver na fé e no amor cristãos, ou poderá oferecer um modo de viver indiferente.

A escolha é sempre pessoal. O que infelizmente está faltando é uma consciência mais definida a respeito dos valores cristãos. Os cristãos estão inseguros em sua fé e medrosos em seu testemunho. Escondem as riquezas do espírito e omitem sua  ação na comunidade.

Vemos com tristeza que nossos legisladores e nossos governantes não se empenham em comprometer-se com os princípios da evangelização. Os interesses políticos são colocados acima das necessidades cristãs. Constatamos que não existe um empenho mais sério no cultivo dos direitos humanos, na defesa da justiça e da paz e no amor solidário.

Não há mais lugar para Deus. O ser humano está sendo desrespeitado em sua origem e em sua necessidade de uma vida saudável e nobre. Sabemos que Deus nos trata como filhos queridos e quer fazer sua morada em cada coração. E quer ser companheiro em seu caminho

É hora de olhar  para dentro de nós mesmos e organizar ambiente e tempo para uma reflexão pessoal. Somos seres humanos carentes de silencio e de meditação.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta quarta-feira: "Novos ares na economia"

ARTIGO

Odilon de Oliveira: "O caso de Adélio e Bolsonaro"

Juiz federal aposentado
OPINIÃO

José Santana Júnior: "Relação entre sedentarismo e diabetes"

Advogado, especialista em Direito Médico da Saúde
CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta terça-feira: "Desamparo organizado"

Mais Lidas