terça, 14 de agosto de 2018

Opinião

Pedro Chaves:
Um ano de mandato no Senado Federal

Pedro Chaves é Senador

29 MAI 2017Por 02h:00

Completei em maio um ano de mandato como Senador da República.  Ao longo desses 12 meses fiz um esforço importante para conhecer, o mais rápido possível, a rotina e a liturgia do Senado. Com humildade, seriedade e disposição para o trabalho, conquistei o apoio dos meus colegas senadores, e estabeleci relações fraternas e autônomas com o Governo Federal e o Poder Judiciário.  

Hoje faço parte de 11 Comissões que tratam de assuntos relevantes da Federação. Abri diálogo com todas as esferas do Estado brasileiro e, diariamente recebo a honrosa visita de vereadores, prefeitos, empresários, sindicalistas, entidades de classe, associações comunitárias, e outras autoridades que procuram nosso apoio. 

Meus gabinetes em Campo Grande e Brasília se transformaram em escritórios avançados dos prefeitos e vereadores de Mato Grosso do Sul. Fico muito contente em recebê-los. É uma forma de ajudar a atender as demandas e potencialidades dos municípios.

Cheguei ao Senado em um momento muito difícil da vida nacional. A economia em recessão e os políticos e a política em baixa cotação popular. Mesmo assim não me omiti em nenhum momento. 

Aprendi com meus pais e com a vida que os bons comandantes não temem navegar em meio a tempestade. Votei com minha consciência em todas as vezes que fui demandado. A liberdade e a coerência com que atuo na vida privada e na política me abriram portas importantes em Brasília, tanto que fui escolhido, pelo Congresso Nacional, para relatar projetos que estão impactando positivamente a vida nacional. 

Logo de início, fui agraciado com um grande desafio, relatar a Medida Provisória que objetivava modernizar o Ensino Médio. Além da Lei que criou o novo Ensino Médio, consegui também a aprovação no Senado de outro projeto que relatei, o PLS 174/2016, que proíbe as operadoras de impor qualquer limite na Internet fixa – uma grande vitória de todos os consumidores brasileiros.

Assinei o requerimento para acelerar a tramitação do projeto que acaba com o foro privilegiado das autoridades que cometerem crimes comuns. Se todos são iguais perante a lei, não se pode admitir privilégios para alguns, em detrimento da maioria esmagadora da população. 

A tentativa de cobrança extra por bagagem transportada, em avião, é outra luta na qual estou engajado, pois as empresas aéreas, com o apoio da Agência Nacional de Aviação (Anac), estão querendo lucro extra às custas do consumidor, que não aguenta mais tanta taxa.  

A luta por investimentos em nosso estado tem sido constante. Campo Grande e outros 38 municípios de Mato Grosso do Sul foram beneficiados com minhas emendas parlamentares e uma ação firme junto a vários órgãos do governo. Mais de R$ 15 milhões chegaram aos cofres das prefeituras e estão sendo investidos em saneamento, infraestrutura, educação, esporte e saúde. 

No caso de Campo Grande tivemos um êxito adicional, viabilizamos um empréstimo, junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 56 milhões, que serão investidos na revitalização do Centro da cidade. No último dia 12 de maio o empréstimo foi assinado pelo prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, e pelo BID com o aval do Governo Federal. 

Agora, o dinheiro está à disposição da Prefeitura para iniciar a licitação e dar andamento ao Programa, que, entre outras coisas, urbanizará as ruas compreendidas entre a Avenida Mato Grosso e a Fernando Correia da Costa. 

Agradeço a todos que me incentivaram nesse primeiro ano de mandato. As vitórias que consegui, na verdade, não são minhas, mas de toda população sul-mato-grossense. Por último, informo que estou motivado a continuar trabalhando, cada dia com mais dedicação, para construir um Mato Grosso do Sul mais próspero, democrático, fraterno e feliz.
Que venham novos desafios! 

Leia Também