Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ARTIGO

Octavio Luiz Franco: "A sensibilidade canina"

Coordenador do S-Inova Biotech, professor do programa de Pós-graduação em Biotecnologia - UCDB
21/01/2016 00:00 -


Muitas pessoas no mundo inteiro têm cães. Eles podem auxiliar em diferentes funções para os seres humanos como guias para cegos, proteção ou apenas companhia. Neste último quesito, os cães são considerados campeões funcionais, especialmente devido corrida e solitária vida moderna.

Vida esta que leva inúmeras pessoas a buscarem carinho e atenção em seres que não são da espécie humana. Afinal quem é proprietário de um cão sabe bem que os mesmos quase nunca estão mal-humorados e são bem receptivos e compreensivos aos seres humanos.  

É muito comum ouvir donos de cães sempre dizerem que cães podem entender seus sentimentos, sendo profícuos em perceber se estão tristes ou felizes, cansadas ou animadas.

Seria esta percepção uma verdade ou um simples anseio de pessoas solitárias? Neste mês, cientistas demonstraram na revista Biology Letters evidências claras de que cães são realmente capazes de entender os sentimentos humanos com clareza e convicção.

Pesquisadores avaliaram dezessete cães adultos de diferentes raças e os observaram afim de analisar se os cães eram ou não capazes de reconhecer expressões emocionais. Estas expressões estariam claramente demonstradas em expressões faciais e vozes humanas, demonstrando que os animais apresentavam enorme talento cognitivo. 

Cada cão tomou parte de duas sessões com dez tentativas cada uma.  

Em cada uma das sessões os pesquisadores projetaram fotos de pessoas desconhecidas com rostos felizes e tranquilos ou tristes e agressivos. O mesmo foi feito com fotos de outros cães, também apresentando faces calmas ou agressivas. Além disso os cientistas tocaram a vocalização de cães latindo agressivamente ou não, bem como utilizaram vozes de humanos desconhecidos ao animal. 

Vale ressaltar que a vocalização foi feita em Português afim de que o animal não entendesse as palavras citadas. A primeira descoberta interessante consistiu de que os animais passaram muito mais tempo observando as imagens de expressões diretamente relacionadas com os tons de voz.

Assim imagens de cães conectadas a sons humanos e vice-versa foram rapidamente descartadas pelos animais. Esta medida hoje é a mais utilizada para avaliar as habilidades cognitivas de outros mamíferos.

Além disso a resposta cães a felicidade ou tristeza humana foi completamente diferente, demonstrando pela primeira vez a habilidade dos cães em discernir entre emoções humanas mostrando a compreensão interespécies. 

Outro dado importante é que os cães se sentiram mais confortáveis em ver fotos de outros cães que a de humanos lembrando-nos que cães não são seres humanos e que além de gostarem de serem tratados como cães, também gostam de socializar com outros da mesma espécie.

Aparentemente, este talento cognitivo  co-evoluiu junto com os seres humanos nos últimos milhares de anos que estamos associados. Este talento permitiu aos cães melhor entenderem os seres humanos e assim sobreviver no seu novo nicho ecológico, a selva de pedra humana. 

Desta forma aparentemente podemos esconder nossos sentimentos das pessoas que nos rodeiam, mas não dos nossos cães de estimação. Seremos nós capazes de reconhecer o sentimento do que chamamos de nosso melhor amigo? Tente olhar para seu cão e ver se está triste ou feliz e verá o quanto isso pode ser difícil. A ciência está vigilante ao nosso lado, atuando sabiamente para solucionar os problemas de nossa sociedade.

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!