Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ARTIGO

Mateus Boldrine Abrita e Fábio Edir dos Santos Costa: A importância da inovação e das universidades

Professor e Reitor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, respectivamente
09/07/2019 02:00 -


O Mercosul e a União Europeia firmaram um acordo para reduzir de tarifas entre os dois blocos e, assim, fomentar o comércio entre eles. De um modo geral, os países ou regiões que detém maior eficiência tendem a possuir um benefício maior nesses acordos. Nesse contexto, a eficiência, a inovação, a ciência e a tecnologia ganham extrema relevância, sobremaneira a cooperação entre universidades e o setor produtivo.

Um ponto importante para os países da América Latina é promover um incentivo, no sentido de fomentar setores e produtos com elevados conteúdos tecnológicos, maior valor agregado, alta demanda mundial e que tenham ganhos de produtividade. Esses fatores podem favorecer a formação de um círculo virtuoso de crescimento, possibilitando o desenvolvimento socioeconômico.

Os sistemas de inovação têm se mostrado elementos basilares e sustentáculo para o desenvolvimento econômico dos países desenvolvidos. Diversas pesquisas têm apontado que buscar um sistema nacional de inovação “maduro” é muito relevante para que determinada economia consiga alcançar o nível de renda dos países mais ricos.

Mas, afinal, o que é um sistema de inovação? De um modo geral, sistema de inovação é uma criação e fortalecimento institucional para a cooperação, aprendizado e interações que promovam um ambiente favorável à geração e difusão de novas tecnologias. Ou seja, esta construção institucional pode propiciar um ambiente inovativo que auxilie a estrutura produtiva.

Nesse contexto, o Corredor Bioceânico, também conhecido como Rota de Integração Latino-Americana (Rila), que busca diminuir a distância entre Brasil, Paraguai, Argentina e Chile em relação a Ásia, constitui uma janela de oportunidade para o desenvolvimento. Esse corredor de transporte até os portos do pacífico pode contribuir para elevação da competitividade do setor produtivo, reduzir custo e tempo, fomentar o turismo e a economia criativa e suscitar um movimento de carga e de passageiros mais eficaz. Entretanto, talvez o mais importante seja a janela de oportunidade para estimular o desenvolvimento de projetos de integração e cooperação produtiva e inovativa entre os países.

Deste modo, a Rede Universitária da Rila (UniRila) tem extrema relevância. Essa rede, da qual a Uems é integrante, é composta por universidades do Brasil, Argentina, Chile e Paraguai com propósito de promover a integração. Essas interações possibilitarão a criação e fortalecimento de uma rede entre universidades, institutos de pesquisa, órgãos dos governos e empresas com o objetivo de gerar, absorver e difundir inovações tecnológicas, por meio de cooperação, aprendizado, trocas informacionais e experiências. Com isso, é possível auxiliar no fortalecimento dos arranjos produtivos ao longo da rota, com possibilidade da criação de sistemas inovativos para a promoção do fortalecimento da produção, buscando maior valor agregado, novas formas de organização, novos modelos de negócio e demais novidades que elevem a competitividade, lucratividade e empregabilidade.

Esta estratégia de fortalecimento institucional para promover a cooperação, inovação e eficiência ganha ainda mais destaque quando está em pauta o acordo entre o Mercosul e a União Europeia. Certamente, este acordo pode ser uma grande oportunidade para os países envolvidos. Contudo, a possibilidade de “perdermos” em vários setores aos quais somos menos competitivos também é um risco relevante, principalmente se ficarmos “acomodados”.

É importante destacar que as universidades estão preparadas, cumprindo sua missão. E estão prontas para que, por meio do conhecimento nela gerados, fomentem, junto das demais instituições, governo e setor produtivo, o desenvolvimento socioeconômico e cultural que os governos tanto precisam e a sociedade tanto merece.

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.