Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

OPINIÃO

João Batista Pereira: "Desbravador intimorato "

Advogado

5 SET 2017Por 01h:00

A expressão “ADEUS AO GÊNIO” estampada no CORREIO DO ESTADO homenageando PEDRO PEDROSSIAN (Edição de 23/08/2017) e corroborada pela fotografia do ex-governador arregaçando as mangas da camisa em um simbolismo a dizer: vamos ao trabalho, sua marca registrada, sintetiza o valor do homem que enfrentou enormes desafios e dificuldades para converter sonhos em realidade. Nos seus governos, construiu estradas, pontes, parques de lazer, conjuntos habitacionais (Moreninhas, Aero Rancho e outros), Parque dos Poderes, Teatros, Museus, Estádio Morenão, o Guanandizão, entre tantos. 

Dr. Pedro deixou sua marca beneficiando todos os municípios. Na SAÚDE, hospitais e órgãos similaressempre direcionados às pessoas carentes de recursos. Incentivou médicos a se aperfeiçoaram em outros países, trazendo benefícios à população. Na EDUCAÇÃO, foi imbatível construindo escolas, criando universidades em Cuiabá, Campo Grande e Dourados, proporcionando a milhares de jovens a oportunidade de conquistarem a profissão desejada. Na Segurança Pública, ele fez muito.

  Dr. Pedro, ciente da importância da Polícia Técnica/Científica (Identificação, Criminalística, Imol), mandou equipá-la com materiais necessários, alguns ainda em utilização; mas não pode construir prédios programados para a separação dos institutos. Criou a Polícia Feminina Militar demonstrando apreço à mulher, também valorizada nos quadros da Polícia Civil, Polícia Científica, Bombeiro Militar.

Pedrossian se emocionou com a contratação de pessoas com deficiência física para trabalhar no Instituo de Identificação (pioneirismo da SSP/MS). Consolidaram-se as comunicações, até então inexistentes no âmbito da Segurança Pública, para melhor atender aos anseios da população.

Integrantes da PM começaram a policiar partes da fronteira com o Paraguai em duas viaturas, uma partindo de Ponta Porã à cidade de Mundo Novo e outra equipe desta àquela cidade constituindo-se no embrião do DOF (Departamento de Operações  de Fronteira). Incentivou a polícia Rodoviária Estadual e a Florestal, atualmente Ambiental, mais apropriado. Construiu Quartéis, Delegacias, Ciretran. Na área reivindicada pela SSP, no Parque dos Poderes, prevista para o CG do BM, a Diretoria-Geral da PC, o CG da PM, a Direção da Polícia Científica, o Centro Integrado de Operações e Informações (Cioi), em tom de brincadeira, indagou: – é um novo Pentágono? Informado que se tratava de tributo aos instigantes da segurança autorizou a cedência.

No projeto de formação, qualificação e reciclagem integrando os órgãos da SSP/MS, respeitadas às peculiaridades das funções, o governador percebeu algo inédito. Vidrado em educação e na esteira desse entendimento e na busca por aprimoramento dos quadros policiais, Pedrossian criou em 11 de agosto de 1982, pelo Decreto 1.744, publicado no Diário Oficial de 12 de agosto daquele ano, a Academia Estadual de Segurança Pública – AESP/MS. Sugeriu-lhe que apresentasse à Assembleia Legislativa projeto de lei para impor ao município desejo de constituir sua Guarda Municipal a formação na Academia; por convênio, a possibilidade de integralizar as Guardas Particulares; e por intermédio do Itamaraty a cedência de cotas à disposição dos Governos do Paraguai e Bolívia para seus polícias frequentarem a Aesp. Gradativamente, haveria integração sem precedentes.

No seu segundo mandato, de 1991 a 1994, o início foi conturbado. Funcionalismo com salários atrasados, as polícias em greve com atitudes inadequadas de alguns integrantes da PM na Assembleia Legislativa. Criminalidade e violência em ascendência. Preocupado com a segurança da população, exigiu da cúpula da SSP medidas urgentes e enérgicas. Deu integral apoio na criação da Tropa Ostensiva de Repressão Armada (Tora) e do Policiamento Unificados Ativo (PUA) incumbidos de reduzirem ações criminosas. A PUA policiava a região compreendida entre Chapadão do Sul a Três Lagoas e a Tora atuava nas cidades de Campo Grande, Dourados e Corumbá, com relevantes serviços à sociedade. Suas ações preventivas reduziram a criminalidade desafogando cartórios da Polícia Civil, do Ministério Público, da Magistratura. 

O ex-governador deixa inestimável legado nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. O cidadão João Batista Pereira, signatário deste artigo, pede permissão aos dignos leitores para simplesmente dizer: Obrigado, Pedrossian. Siga em paz na companhia de Jesus Cristo.    

Leia Também