Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial deste sábado/domingo: "Revitalizar por completo"

19 OUT 19 - 03h:00

Existe a possibilidade de se fazer muito mais no Centro de Campo Grande. A sugestão de melhorar a Praça Ary Coelho é uma delas.

A obra de revitalização da Rua 14 de Julho, que no ano passado gerava transtornos e diversas reclamações, agora já começa a render vários elogios dos moradores de Campo Grande e também dos visitantes, que passam pelo centro da cidade. Mesmo alguns que torciam o nariz para o trabalho de transformação da via, que – a partir dela – também fará o mesmo com toda a região central, rendem-se ao fato de que a obra de quase R$ 60 milhões melhorou, mesmo faltando mais de um mês para a inauguração, o aspecto visual da região. 

Aliás, a partir do ano que vem, serão as vias adjacentes que passarão por obras de revitalização, e talvez os comerciantes da região também vivam os mesmos transtornos a que aqueles que estão na Rua 14 de Julho foram submetidos. As intenções do programa reviva Campo Grande, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), são boas, mas os transtornos nas obras certamente acontecerão.

Como todo o programa de revitalização do centro da Capital é cotado em dólar, certamente sobrará um bom dinheiro na conversão dos mais de US$ 50 milhões em reais. Os integrantes do primeiro escalão da prefeitura, em várias ocasiões, reconheceram que houve vantagem na conversão cambial. Ultimamente, o dólar quando não está acima dos R$ 4 sempre flerta com este patamar. Na época da contratação do Reviva, a cotação era próxima de R$ 3.

Nesta edição, ao atendermos sugestões de nossos leitores, mostramos uma das obras que podem ser feitas com os recursos emprestados pelo BID (sim, um dia o município terá de honrar este empréstimo). A Praça Ary Coelho parece destoar do novo projeto que está sendo implantado. O contraste é ainda mais marcante no período noturno, quando as fortes luzes de LED já colocadas na Rua 14 de Julho se opõem à escuridão de uma dos principais logradouros de Campo Grande.

Transformar o centro de Campo Grande é um projeto urbano ambicioso. Além da Rua 14 de Julho e de todas as vias do quadrilátero compreendido entre a Rua Padre João Crippa e avenidas Calógeras, Mato Grosso e Fernando Corrêa da Costa, será construído um edifício residencial na região central e está prevista (com recursos federais) a reforma e conversão do edifício do Hotel Campo Grande em um residencial.

Existe a possibilidade de se fazer muito mais. A sugestão de melhorar a Praça Ary Coelho é uma delas. Mudar as rotas de ônibus expressos e preservar o canteiro da Avenida Afonso Pena é outra. O objetivo é levar vida de volta ao Centro.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta sexta-feira: "Retomada consistente"

ARTIGO

Antonio Carlos Siufi Hindo: "República do baronato"

Promotor de Justiça aposentado
OPINIÃO

Juliana Maria Garippe: "Ser on-line é saber da importância do off-line"

Gerente de relacionamento
CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta quinta-feira: "Emenda pior que o soneto"

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião