CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial deste sábado/domingo: "Os números não mentem"

Confira o editorial deste sábado/domingo: "Os números não mentem"
25/01/2020 03:00 -


Esperamos que os bons números apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) demonstrem que trata-se apenas do início de mais resultados positivos.

Não é por acaso que a economia é conceituada como uma ciência que estuda a produção, distribuição e o consumo de bens e serviços. É um ramo do conhecimento que não é possível definir como ciência exata ou ciência humana, até porque ela é repleta de elementos objetivos (como os números e sua gritante exatidão) e os subjetivos – no caso, o ser humano, o responsável pela produção e sempre sujeito a mudanças repentinas e imponderadas, como outro elemento subjetivo: a natureza.

Por estas razões, a economia está posicionada nas ciências sociais aplicadas. No ano passado, foi possível ver esta dupla face – humana e exata – da economia brasileira, talvez por causa de uma retomada lenta. Enquanto os índices de emprego demonstravam uma melhora no cenário nacional, e também no de Mato Grosso do Sul, ainda havia um certo desdém com os números positivos, até porque o contingente sem trabalho era grande. Era uma questão de perspectiva: de ver o copo meio cheio ou meio vazio.

O fato é que o lado exato acabou sobressaindo ao examinar o ano de 2019 em todo seu conjunto. A geração de empregos esteve entre as maiores da década, tendo um desempenho na criação de novas vagas menor apenas do que o de 2013 nos últimos anos. É o que o leitor poderá conferir em reportagem publicada em nossa página de Economia.

No caso de Mato Grosso do Sul, o bom resultado mostra que a perspectiva para 2020 é de melhora, pois setores como o de comércio e de serviços foram os grandes geradores de emprego. Estes setores são conhecidos por seu poder multiplicador. Quando o maior é número de contratações neles, significa que a demanda – que certamente já cresceu – será ainda maior. É multiplicado porque gera vagas não somente onde está posicionado, nas vendas e nas prestações de serviço, mas sobretudo nos setores ligados à industrialização e produção de matéria-prima.

O bom desempenho da indústria local, atrelada ao processamento de carne e grãos, além da produção de celulose, também tem contribuindo para reter a renda gerada aqui em nosso território. A perspectiva é de que mais dinheiro circule neste ano e que mais vagas sejam geradas; as razões estão no setor de infraestrutura. Há a expectativa de várias obras saírem do papel e se tornarem realidade.

A facilitação do crédito imobiliário também tem motivado a indústria da construção civil, que já se movimenta para novos empreendimentos. Esperamos que estes números positivos que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apresentou no consolidado de 2019 representem o início de uma retomada da economia de Mato Grosso do Sul e do Brasil. Depois de uma forte recessão, que teve início em 2015, é disso que precisamos.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".