Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta sexta-feira: "Importante recomeço"

Confira o editorial desta sexta-feira: "Importante recomeço"
02/08/2019 03:00 -


Fica a nossa torcida para que a fábrica de Três Lagoas seja concluída o quanto antes. Ela será importantíssima neste novo ciclo da economia de Mato Grosso do Sul.

O acordo firmado entre a empresa Acron, gigante russa do mercado de fertilizantes, líder no Planeta Terra, e a Petrobras para a retomada da construção da unidade de fertilizantes em Três Lagoas é um capítulo importante da história da indústria de Mato Grosso do Sul. Em primeiro lugar, porque resgata o maior projeto da década para o desenvolvimento econômico não só do Estado, mas da região Centro-Oeste.

Quando falamos em maior empreitada deste período de 10 anos, estão tratando de um negócio de cifras bilionárias somente para sua execução. Assim que a unidade estiver pronta, estes bilhões certamente se multiplicarão.

E ainda sobre a década, que caminha para o seu fim, é salutar lembrarmos do que representou a unidade de fertilizantes. Entre os anos de 2011 e 2014, o fluxo migratório brasileiro foi alterado por causa do empreendimento da Petrobrás, que foi interrompido com pouco mais de 80% dos trabalhos concluídos. Foram milhares de trabalhadores de outras regiões do Brasil, e alguns de outros países, que mudaram-se para Três Lagoas em busca de uma oportunidade. Estamos nos referindo somente ao trabalho para levantar a fábrica.

De fato, serão milhares de empregos diretos e indiretos que a usina irá gerar. E aí entra o segundo argumento sobre a importância histórica da retomada desta obra. A produção de nitrogenados pela unidade da Acron, atrairá ainda mais indústrias para Mato Grosso do Sul. As misturadoras, que é quem prepara o fertilizante que o agricultor tem acesso, devem gerar investimentos e uma renda ainda maior que a projetada pelas autoridades.

Por fim, a compra da unidade de fertilizantes da Petrobras pela Acron, ajuda o estado de Mato Grosso do Sul a manter firme a importação de gás da Bolívia, importante gerador de receita de impostos para o Estado. É importante lembrar que o gás natural não é apenas um combustível para esta indústria, mas sim a sua matéria-prima.

Fica aqui a nossa torcida para que as obras da fábrica de Três Lagoas recomecem o quanto antes. Acreditamos que ela será importantíssima neste novo ciclo da economia de Mato Grosso do Sul.

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!