Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 19 de outubro de 2018

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta sexta-feira:
"A persistência de quem trabalha"

12 OUT 2018Por 03h:00

Em meio as trevas espalhadas para dificultar uma visão sobre o futuro neste processo eleitoral restou aos que produzem fazer o que sabem fazer melhor: trabalhar mais e mais.

Desde abril, quando a maioria dos ministros deixaram o impopular governo de Michel Temer, para se aventurar em disputas políticas em que uns poucos saíram vitoriosos e outros muitos não, os atos da atual administração saíram de cena. É como se o país, que já enfrenta incontáveis dificuldades não só em setores como de segurança pública, saúde e educação, mas também na economia, estivesse no piloto automático.

Passada a greve dos caminhoneiros, evento que parou a economia por pelo menos 20 dias e deixou reflexos insanáveis nos índices de crescimento do produto interno bruto, pensou-se que os problemas financeiros e monetários do Brasil fossem a pauta principal destas eleições presidenciais. Mas não foi bem isso o que houve. O que ocorre desde então é um profundo debate moral, de temas controversos e polêmicos, que pouco ajudam a retomada do crescimento do país. Não sabemos até ponto a discussão de temas ligados à sexualidade e ao comportamento individual pode contribuir para um cidadão desempregado, conseguir voltar para o mercado de trabalho.

Diante desta cortida de fumaça jogada sobre as eleições presidenciais, em que o importante não é discutido, restou aos que mantém a economia viva, lutar por ela. Estamos falando de todos os níveis de trabalhadores: dos empresários, agricultores (grandes e pequenos) e até mesmo dos trabalhadores, empregados ou não. O sustento diário não pode esperar resolução de eleições presidenciais - sobretudo de uma em que o debate sobre os rumos do país, parece não importar muito.

Em meio as trevas espalhadas para dificultar uma visão sobre o futuro, restou aos que produzem fazer o que sabem fazer melhor: trabalhar mais e mais. Nesta edição, mostraremos aos nossos leitores, empregados e empregadores, o mapa de setores que estão contratando e dando oportunidade a pessoas. O mundo, nem tampouco o tempo, não param. 

A vida segue, e é com a persistência e resistência dos que não se cansam em meio aos desafios do dia dia, é que superaremos as dificuldades. A contribuição dos que pensam no bem da economia brasileira neste momento de cegueira quase coletiva, é a luz no fim do túnel deste país gigante. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também