Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 25 de setembro de 2018

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta quinta-feira:
"Compensa ser 'mau pagador'"

12 JUL 2018Por 03h:00

Em tramitação no Congresso Nacional, no “Pacote de Bondades”, que amplia tarifa social e transfere a conta dos “gatos” da energia, os verdadeiros benfeitores são os consumidores.

O Congresso Nacional prova, a cada dia, que compensa ser um “mau pagador” no Brasil. Reportagem de hoje do Correio do Estado mostra que projeto de lei aprovado pelos deputados pretende ampliar a tarifa social da energia elétrica para famílias de baixa renda. A medida, por sinal, é positiva diante do alto custo da energia elétrica paga pelo brasileiro e do peso dela no orçamento. Porém, no “Pacote de Bondades”, como está sendo chamado, os maiores benfeitores são os consumidores que conseguem honrar seus compromissos. A ampliação dessa tarifa social é de extrema importância para atender famílias de baixa renda, mas está longe de ser uma ação filantrópica das concessionárias de energia – o prejuízo será diluído na conta dos outros consumidores. A situação assemelha-se, a propósito, à postura que pretende ser adotada pela Águas Guariroba, concessionária de água e esgoto de Campo Grande. Ao ver na Justiça – decisão que suspende a cobrança de tarifa mínima de água –, a empresa anunciou prejuízo e deixou claro que pretende cobrar essa conta dos campo-grandenses.

E o mesmo deve ocorrer com as concessionárias de energia. Mas os abusos com o consumidor não param por aí. Neste mesmo projeto, foi aprovada medida que transfere a conta dos furtos de energia elétrica, mais conhecidos como “gatos”, em concessionárias da Região Norte para os consumidores de todo o País. Ao aprovarem esse texto, que agora segue para o Senado e depois para sanção presidencial, a Câmara de Deputados manda dois recados para a população: a primeira é que as concessionárias não precisam se preocupar em combater gatos e outros tipos de crime, uma vez que não terá prejuízo algum em caso de perdas, e a segunda é que o cidadão que busca honrar seus compromissos paga dobrado por ser honesto.

É importante lembrar que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já prevê que parte do prejuízo dos gatos seja cobrado dos consumidores. Assim, não bastassem os maus pagadores, teremos de arcar com os de outras regiões – a Aneel já prevê que parte do prejuízo gerado por furtos seja diluído entre os consumidores da empresa. Além deles, agora, os brasileiros terão de arcar com sete anos de “gatos” em duas concessionárias do Norte. A conta da incompetência dessas empresas em fiscalizar seus consumidores será paga por aqueles que, contraditoriamente, mantém suas contas em dia. Se aprovado projeto, o brasileiro pode esperar um reajuste amargo para o próximo ano e as concessionárias, o aumento expressivo no índice de inadimplência. Afinal, para que manter as contas em dia?

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também