CORREIO DO ESTADO

Confira nosso editorial desta segunda-feira: "Importância da ferrovia"

Confira nosso editorial desta segunda-feira: "Importância da ferrovia"
20/01/2020 03:00 -


A demanda para o transporte de cargas para os trilhos da antiga Noroeste do Brasil está de volta. Resta saber ser a concessionária terá interesse em reativá-la

Quem não gosta de simplificar as coisas? Percebemos a evolução da humanidade justamente, no avanço das ciências e das técnicas. É por meio delas que o nosso cotidiano ficou muito mais simples com o passar dos anos. Se há pouco mais de 100 anos levava-se dias, até mesmo meses, para cruzar um oceano e deslocar-se pelo planeta, hoje isso pode ser feito em poucas horas. É comum nos últimos anos as pessoas afirmarem que o mundo ficou pequeno. Isso se deve ao avanço do ser humano no sentido de vencer desafios e criar meios tudo seja mais simples a cada dia.

No Brasil, porém, embora seja natural que as pessoas persigam um cotidiano mais descomplicado, o poder público e a própria sociedade parecem trabalhar no sentido de dificultar o dia-dia da população. Vejamos o caso das ferrovias: elas foram importantíssimas para que o país fosse desbravado no século passado. Lamentavelmente, nos últimos trinta anos, os responsáveis pelas políticas públicas federais permitiram que muitas das ferrovias ficassem inutilizadas e sucateadas. Se muitas delas, como por exemplo a antiga Noroeste do Brasil estivesse em operação, por exemplo, poderíamos ter produtos com preço mais justo, com custo menor, e rodovias bem estruturadas e muitas vidas poupadas. Falamos das ferrovias, porque certamente um maior escoamento de carnas por via férrea, descongestionaria as rodovias.

Nesta edição trazemos reportagem que mostra que há demanda para que os trilhos da ferrovia Noroeste do Brasil  voltem a receber comboios. Quando os trilhos foram desativados , em 2015, a justificativa da rumo, concessionária da ferrovia é de que havia pouca demanda para justificar a manutenção do serviço. Pois bem, os clientes, produtores de ureia e minério de ferro, estão de volta. O que resta saber da concessionária é se ela terá interesse em atender a demanda. 

Em 2018, na greve dos caminhoneiros, o brasileiro - e especificamente o sul-mato-grossense perceberam a falta que faz um transporte ferroviário efetivo e consolidado. Quando começou a faltar combustíveis em Campo Grande e no interior do Estado, o cidadão se deu conta que se os derivados de petróleo fossem transportados pelas ferrovias, mercadorias essenciais, como os combustíveis seriam supridos. Desde então, muito se falou em reativar a ferrovia. Com esta notícia sobre o retorno da demanda, esperamos que a ferrovia se viabilize, e ajude a tornar o escoamento da produção do Estado mais eficiente, simples e mais barato.
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".