Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

OPINIÃO

Clementino Ferreira de Brites: "A pessoa idosa"

Presidente do Conselho Estadual dos Direitos das Pessoas Idosas

18 SET 19 - 01h:00

Neste mês de setembro iniciam-se os preparativos para homenagear as pessoas idosas, culminando, pois, em 1º de outubro, o Dia Internacional da Pessoa Idosa!

São homens e mulheres, nossos pais, avós, bisavós, tios e tias, vizinhos, amigos, conhecidos, transeuntes, com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, que com sua sabedoria nos ensinam e emitem com suas atitudes mensagens de conhecimento para construção do homem e do mundo.

Existem organismos internacionais privados e governamentais criados especialmente para atender às pessoas enquanto nesta faixa etária, além de normas que devem ser cumpridas.

No Brasil, existem regimentos comportamentais e legais, em que a primícia é a convivência harmoniosa.

As maiores das normas que enaltecem os idosos, contudo, não estão escrita em papel, mas, sim, gravadas eternamente em nossas mentes, em nossos olhos, pois as aprendemos, enquanto família, com eles; são: a responsabilidade, a honestidade, o exemplo, a alegria, o trabalho, a atitude.

É dever de todos: respeito à dignidade dos idosos, mantendo-os sempre no patamar da liberdade, igualdade e fraternidade. E, ainda, aquelas alicerçadas em valores interiores que fortalecem os laços humanitários.

A família, o governo e a sociedade têm deveres para com os idosos: não os deixando viver em dificuldades, assegurando aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social.

Devemos oportunizar e facilitar as atitudes positivas para a saúde física e mental da pessoa idosa, tais como: aquelas voltadas à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

A contribuição da pessoa idosa para a dignificação de uma sociedade melhor é inegável.

Que os nossos idosos tenham preferências e prioridades não somente em fila de bancos ou supermercados, mas que sejam, principalmente, preferenciais em nossos corações!

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta terça-feira: "O pragmatismo sempre vence"

ARTIGO

Flavio A. Sandi: "Os limites e a liberdade na educação"

Professor
OPINIÃO

Renata Bento: "Estamos mais ansiosos"

Psicóloga
Roberta D'Albuquerque: "Nove mil, quinhentos e noventa e nove reais"
ARTIGO

Roberta D'Albuquerque: "Nove mil, quinhentos e noventa e nove reais"

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião