146 empresas que pagaram menos impostos serão fiscalizadas pela Receita

146 empresas que pagaram menos impostos serão fiscalizadas pela Receita
28/10/2009 19:30 -


     

         

         

Nesta quarta-feira, durante entrevista coletiva em Brasília, o secretário da Receita Federal, Otacílio Dantas Cartaxo, anunciou que o órgão iniciou a operação "Ouro de Tolo", que vai fiscalizar 146 empresas de grande porte que tiveram quedas acima da média no recolhimento de impostos de janeiro a setembro 2009, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

 

Segundo Cartaxo, apenas com estas companhias a Receita deixou de arrecadar R$ 33,429 bilhões em Cofins, PIS/Pasep, Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) nos primeiros nove meses deste ano, tomando como base os valores arrecadados no mesmo período de 2008.

 

O secretário informou que s 146 empresas já foram notificadas por meio de Mandato de Procedimento Fiscal (MPF). Ele disse que a primeira fase da operação começa este mês deve terminar em dezembro.

 

Caso a empresa tenha sonegado impostos, a multa é de 150% sobre o valor que ela deixou de recolher. Se a Receita Federal apurar que houve dolo (intenção) na sonegação, será enviada uma representação para o Ministério Público Federal (MPF) e os responsáveis podem ser indiciados por crime contra a ordem tributária.

         

Com informações JB Online

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".