Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

3ª Turma Cível do TJ julga quase 29% mais processos no primeiro semestre

3ª Turma Cível do TJ julga quase 29% mais processos no primeiro semestre
19/07/2010 22:30 -


     

No primeiro semestre de 2010 foram julgados pela 3ª Turma Cível quase 29% de processos a mais do que o mesmo período de 2009, enquanto a distribuição teve elevação de 12%. Foram julgados 4.334 e distribuídos 3.368 feitos somente no primeiro semestre deste ano. O número representa quase mil processos a mais.

Além da utilização do recurso de compartilhamento de votos, o desembargador Fernando Mauro Moreira Marinho, que preside a 3ª Turma Cível, ressaltou que os integrantes costumam partilhar os votos, o que favorece e agiliza as sessões, e os magistrados são afinados entre si nos julgamentos. "Só para a próxima sessão da Turma, já temos 239 processos em pauta e nos gabinetes estamos trabalhando, praticamente, apenas com processos distribuídos em 2010".

O desembargador mostra-se favorável aos avanços trazidos pela informatização, mas ressalva que em determinados processos o uso do papel é imprescindível, como em ações que versam sobre falsificação de documentos, por exemplo. Também são integrantes da turma os desembargadores Rubens Bergonzi Bossay, Oswaldo Rodrigues de Melo e Marco André Nogueira Hanson.

O presidente da 3ª Turma Cível também destacou que o judiciário sul-mato-grossense sempre foi de vanguarda e o cidadão está tendo cada vez mais acesso a seus serviços, considerando-se também o louvável trabalho desempenhado pela Defensoria Pública e pelo Ministério Público de MS.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.