Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MEIO AMBIENTE

WWF Brasil faz pesquisa ecológica na Capital

WWF Brasil faz pesquisa ecológica na Capital
18/03/2011 10:53 - DA REDAÇÃO


O prefeito Nelsinho Trad recebeu hoje no gabinete a visita da equipe da WWF-Brasil que realizou a pesquisa da Pegada Ecológica em Campo Grande e apresentou o cálculo dos principais pontos de consumo de energia da população da Capital. 

De acordo com o coordenador do programa Pantanal da WWF, Michael Becker, a cidade é a primeira a participar do levantamento e de propor ações que diminuam o impacto de consumo de energia.

Na ocasião, Becker comentou que o maior ponto de consumo identificado diz respeito à energia elétrica residencial, com a grande utilização de aparelhos elétricos como o ar condicionado. “Tendo em vista o clima da região nós propomos alternativa de consumo, como por exemplo, trocar os aparelhos defasados em funcionamento, por outros mais modernos e que já são produzidos com opções de menor gasto de energia”, destaca o coordenador.

Para o prefeito o resultado foi positivo e possibilita um planejamento a curto e médio prazo com mudanças no consumo consciente e ações que tragam a participação de outros setores, como a iniciativa privada.

O representante da WWF-Brasil elencou os três principais passos na elaboração do documento entregue ao prefeito. “Começamos com a coleta de dados sobre o consumo, seguido de conscientização nas escolas, explicando o objetivo da Pegada e no terceiro momento, criando estratégias para mitigação de consumo excessivo e participando no processo de elaboração de políticas públicas sustentáveis”, detalha Becker.

 

Com informações do CG Notícias

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!