WhatsApp pede que usuários não adotem o nono dígito

WhatsApp pede que usuários não adotem o nono dígito
02/08/2012 02:00 - techtudo


O WhatsApp se posicionou sobre a mudança dos números de telefones celulares em São Paulo. Ken V., representante do suporte da companhia, respondeu um contato do site MacMagazine e garantiu que nos próximos dias o programa fará a atualização dos telefones da agenda dos usuários paulistas automaticamente. Por isso, a empresa pede que os usuários tenham calma e não incluam o novo dígito manualmente em suas contas.

A questão se deu depois que os telefones celulares com DDD 11 - do estado de São Paulo -receberam um nono dígito (um número nove à frente dos anteriores). Com isso, os registros destas linhas em programas como o WhatsApp e o Viber acabariam sendo modificados se os usuários editassem manulmente suas listas de contatos nos smartphones. Para evitar confusão, a equipe do app pede paciência.

“Estamos cientes da mudança de número para usuários brasileiros. Nós estamos trabalhando para migrar sua conta original do WhatsApp para o seu novo número (com o 9 extra). Isso acontecerá automaticamente nas próximas semanas”, diz a mensagem enviada pelo representante do WhasApp.

Já existem tutoriais de como realizar as alterações no WhatsApp manualmente. Se você estiver interessado em usar o programa o mais rápido possível, talvez isso valha a pena. No entanto, em algumas semanas, com a atualização automática, é bem provável que isso acabe complicando ainda mais a sua vida.

Por isso, Ken V. recomenda que os usuários mantenham suas contas com os telefones de oito dígitos, inclusive pedindo para que os usuários que já alteraram seus números voltem atrás. “Se você já verificou uma conta com o nono dígito, apague-a e cadastre novamente uma com o seu número original, com oito dígitos”, pede o especialista.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".