Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

Volume de etanol cresce 57,4%

15 SET 2010Por 13h:30
     

        O estoque físico de etanol levantado nas unidades produtoras, até a segunda quinzena de agosto, foi de 6,5 bilhões de litros. O volume representa crescimento de 57,44% em relação aos 4,1 bilhões da safra anterior. Já o processamento de cana alcançou 384 milhões de toneladas, 19% superior ao mesmo período em 2009. Os 17 bilhões de litros de etanol e 22 milhões de toneladas de açúcar gerados são 22,8% e 29%, respectivamente, superiores à produção passada.

Os números constam da atualização quinzenal das 432 unidades produtoras cadastradas no Sistema de Acompanhamento da Produção Canavieira (SapCana). O sistema recebe, em tempo real, as informações da produção, comercialização e estoques de açúcar e álcool de todas as usinas. As informações são divulgadas de forma agregada por estado e região.

Para Cid Caldas, diretor de Cana-de-açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o crescimento expressivo na produção e estoques físicos de etanol combustível garantem o abastecimento na entressafra.

O resultado do Programa de Financiamento para Estocagem de Etanol Combustível também merece destaque. Foram aprovados e contratados 757 milhões de litros e outros 507 milhões de litros estão em análise pelas instituições financeiras. Esse volume corresponde a 44% de R$ 2,4 bilhões oferecidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Caldas atribui o sucesso do programa à demanda do setor industrial sucroalcooleiro, equivalente a R$ 1,054 bilhão em apenas alguns meses de execução. "A intenção é proporcionar melhores condições de comercialização do etanol e o adequado abastecimento interno, evitando problemas no comportamento do mercado", acrescenta o diretor.

        O programa, destinado ao financiamento das usinas, destilarias, empresas de comercialização de etanol e cooperativas de produtores, mediante a garantia do estoque de etanol, pode minimizar as variações dos preços do combustível. O governo busca manter linearidade nos preços do etanol combustível que sofrem queda acentuada na safra (maio a dezembro) e elevação na entressafra (janeiro a abril).

Leia Também