quinta, 19 de julho de 2018

AVANÇO

Volume de cheques sem fundo cresceu 26% em MS

17 NOV 2010Por DA ASSESSORIA18h:00

Levantamento do Banco Central do Brasil aponta aumento de 26,79% no número de cheques devolvidos por falta de fundos em Mato Grosso do Sul no mês de outubro comparado a setembro. Diante destes dados, o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul (Fecomércio) Edison Ferreira de Araújo, recomenda cautela no recebimento de pagamentos a prazo. “É preciso se resguardar, fazer a análise de crédito”, orienta, lembrando que o período natalino é o de maior número de vendas, mas que o consumidor também deve estar preparado para as contas de início do ano como IPTU, IPVA, matrículas e materiais escolares.

Edison Araújo observa que, por outro lado, o cheque hoje é pouco usado, com preferência pelo cartão de crédito e débito. “Nossas últimas pesquisas sazonais têm mostrado a preferência do consumidor pelo pagamento à vista, justamente para evitar longas prestações e endividamento”, diz.

Segundo os dados do Banco Central, em outubro deste ano foram devolvidos 97 mil cheques sem fundos em Mato Grosso do Sul, enquanto no mês anterior foram 76,5 mil.

Em valores, os cheques sem fundo somaram R$ 142,8 milhões em outubro contra R$ 113,4 milhões em setembro. O assessor econômico da Fecomércio-MS, Thales de Souza Campos, lembra que em agosto o número de cheques sem fundos havia recuado significativamente e se estabilizou em setembro, voltando em outubro próximo ao patamar de julho.

“Estes cheques que voltaram em outubro muitas vezes foram emitidos em meses anteriores”, ressalta. Assim como o presidente da Fecomércio-MS, Thales lembra que a proporção de cheques é pequena comparada aos pagamentos no cartão de crédito, por isso a inadimplência no comércio está sob controle.

Leia Também