Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Vôlei feminino do Brasil enfrenta maratona

10 AGO 10 - 04h:47
Rio de Janeiro

A seleção brasileira feminina de vôlei iniciou, na noite do último domingo, uma maratona de cerca de 30 horas de viagem rumo a Macau, onde, a partir da próxima sexta-feira, começa a jogar a segunda rodada do Grand Prix.
Como se não bastasse o cansaço dos longos voos, as brasileiras ainda precisarão se adaptar rapidamente ao fuso horário local, 11 horas à frente de São Carlos, onde a seleção foi derrotada pela Itália, na última rodada da competição.
O primeiro rival, a República Dominicana, fez suas primeiras partidas na Polônia. Ou seja, além de encarar um deslocamento quase 10 mil km menor, terá “somente” seis horas de fuso para se adaptar.
“Na próxima etapa em Macau, depois de fuso horário e 30 horas de voo, não vamos ter tempo para resgatar essa derrota para a Itália”, afirmou o técnico brasileiro, José Roberto Guimarães. “Nós deixamos a Itália jogar e pagamos um preço alto por isso. Elas foram bem, mas as deixamos jogar comodamente. Isto não pode acontecer.”
A atacante Mari lamentou o fato de ter que jogar nos dois extremos do mundo em tão poucos dias. “Não tem o que fazer. Vamos ficar muitas horas viajando e é tentar ficar bem”, disse.
Além das dominicanas, a partir das 5h30min (MS) de sexta, a seleção brasileira encara a Holanda (2h de sábado) e China (3h30min de domingo) em Macau.

Estatística
Após a derrota para a Itália, a seleção brasileira feminina de vôlei ficou na terceira colocação na classificação geral. Apesar do tropeço, duas brasileiras aparecem bem após a rodada do Grand Prix: a meio de rede Thaísa e a oposto Sheilla são as atletas mais bem colocadas do elenco do técnico Zé Roberto Guimarães nas estatísticas da competição.
Sheilla é a segunda colocada entre as atacantes. A oposto da seleção brasileira tem 46% de aproveitamento. Na primeira posição está a holandesa Manon Flier, com 46,60%. Jaqueline está em quarto lugar (45,76%).
Thaísa ocupa a vice-liderança nas estatísticas de bloqueio, com 11 pontos. Caroline Wensink, da Holanda, é a primeira colocada, também com 11 pontos. No saque, Thaísa está na sétima colocação, com quatro aces. A liderança neste fundamento é da holandesa Manon Flier, que marcou 12 pontos na primeira rodada da competição.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PSG confirma lesão muscular e Neymar vira desfalque por um mês
ATACANTE

PSG confirma lesão muscular e Neymar vira desfalque por um mês

CAUSOU POLÊMICA

Patricia Abravanel diz que marido tem de perdoar traição se houver arrependimento

ESPORTES

Brasil é ouro em mundiais de Ginástica Artística e Boxe

Arthur Nory e Bia Ferreira conquistam medalhas importantes
Na volta do feriado, acidente mata "Baiano", empresário da Capital

Na volta do feriado, acidente mata "Baiano", empresário da Capital

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião