Vítima de assalto passa cinco horas em poder de bandidos

Vítima de assalto passa cinco horas em poder de bandidos
27/02/2010 05:08 -


Vít ima de assa lto, um homem foi libertado na madrugada de ontem, após ter passado cinco horas como refém de bandidos, que roubaram sua caminhonete. O roubo aconteceu na cidade de Nova Andradina, distante 293 quilômetros de Campo Grande. O veículo ainda não foi recuperado e os assaltantes continuam foragidos. De acordo com informações do delegado titular de Nova Andradina, Rinaldo Moreira, o assalto ocorreu por volta de 22h de quinta-feira, no momento em que a vítima, um médico da cidade e cujo nome está sendo mantido sob sigilo, chegava em casa. Ao acionar o portão eletrônico, que não funcionou, ele desceu da caminhonete S-10, placas HTJ-7104, para abri-lo manualmente. Dois homens armados com revólver aproveitaram-se da situação e abordaram o médico, fazendo-o retornar ao veículo e se sentar no banco de trás, seguindo para as proximidades do assentamento Santa Olga, a cerca de 10 quilômetros de Nova Andradina, na saída para Ivinhema. “Este é o segundo assalto com sequestro relâmpago ocorrido na cidade, neste mês, com vítimas sendo levadas para as proximidades do assentamento. O crime anterior aconteceu na segundafeira de carnaval”, observou o delegado Rinaldo Moreira. Conforme o boletim de ocorrência registrado pela polícia, a vítima foi libertada por volta das 3 horas de ontem, sem ter sofrido agressões físicas. O delegado informou que os assaltantes podem ter ligações em Nova Andradina, pois há relatos de conversas entre eles, durante a ação, sobre quem era a vítima e o cargo que ela ocupava. “Os assa ltantes acabaram identificando a vítima. Sabiam que era um médico na cidade”, explicou Rinaldo Moreira. As investigações em torno do caso prosseguem.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".