Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

MÚSICA

“Violeiros mirins” quer mais em 2011

17 JAN 2011Por CRISTINA MEDEIROS00h:00

 

Há quase cinco anos – a serem completados ainda este ano – o casal Jorcy Neves Luiz e Sebastiana Dias Neves, veem a Orquestra de Violeiros Mirins, idealizada e mantida por eles, em crescimento e participação musical constantes. E em 2011 a pretensão é ainda maior. Além do sonho de gravar o primeiro CD e contratar professores especializados para ensinar outros instrumentos, buscará formas legais para se tornar uma associação. 
 
“O que um dia começou timidamente, atendendo um grupo pequeno de crianças, cresceu em todos os sentidos, e criar a Associação da Orquestra dos Violeiros Mirins vai ajudar para conseguirmos mais apoio oficial. Afinal, é preciso verba para manter os cerca de 40 alunos que eu ensino a tocar violão; além disso nosso sonho é ter uma sede”, explica o aposentado Jorcy Neves.
 
De segunda a sexta, ele reúne num espaço de sua casa os aprendizes de violão e viola e no sábado promove o ensaio da orquestra, que por sua qualidade musical tem se apresentado em vários locais na Capital e no interior. “Me realizo neste trabalho e depois que ganhamos um teclado e um contrabaixo o desejo é conseguir professores voluntários para ensinar esta moçada”, conta, referindo-se aos alunos oriundos de dez bairros da Capital, todos pertencentes a famílias de baixa renda.
 
Nestes quase cinco anos de formação, Jorcy já viu vários jovens saírem da orquestra para tornarem-se profissionais. “O número de integrantes na orquestra oscila sempre, entre 18 e 25 jovens, porque sempre um ou outro sai. Hoje mesmo estamos com 23 integrantes”. E acrescenta: “Eles sabem que para permanecer na orquestra precisam estudar, tirar boas notas, tanto que todos passaram de ano na escola”.
 
Além das músicas típicas do repertório pantaneiro, a orquestra vem tocando sertanejo de raiz, universitário e ultimamente tem contado com a participação vocal do aluno Carlos. “Ele é bom tanto na voz quanto no violão”.
 
No próximo dia 29, os violeiros têm apresentação marcada no Espaço Cultural Chico Xavier e no dia 7 de abril no Teatro Glauce Rocha, ambos na Capital; dia 30 de abril na Festa da Linguiça, em Maracaju.

Leia Também