Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Vigia é assassinado no Bairro Santa Luzia com dois tiros e dez facadas

18 MAR 10 - 08h:17
O vigia noturno Pedro Eudes de Moura, 61 anos, foi espancado e morto a tiros e facadas, na madrugada de ontem, na Vila Santa Luzia, próximo à saída para Rochedo, em Campo Grande. “Seu Pedro”, como era conhecido, já trabalhava há cinco anos fazendo ronda nas ruas do bairro e não tinha envolvimento com ações criminosas. O problema, segundo moradores da Rua Santo André – onde ocorreu o assassinato -, é que o vigilante “implicava” com usuários de drogas da região. A polícia trabalha com a possibilidade do homicídio ter ocorrido como forma retaliação ao comportamento do vigia. De acordo com a Polícia Militar (PM), o crime aconteceu por volta das 3 horas. Moura passava pela Rua Santo André quando foi abordado pelos agressores. Ele levou dez facadas no abdome e nas costas, alguns golpes com uma barra de ferro e dois tiros na cabeça. O corpo foi encontrado em frente da casa de número 330, que fica na Santo André entre as ruas Santa Madalena e Santa Mônica. Hermelinda Paulete dos Santos, 68 anos, moradora da residência 330, afirma não ter ouvido nada no momento em ocorreu o assassinato. “Estava dormindo e mesmo se tivesse ouvido eu não iria sair para acudir ninguém àquela hora da noite. Só vi o que tinha acontecido hoje cedo. É uma coisa muito triste, porque todo mundo conhecia o Seu Pedro, ele não fazia mal a ninguém”. Alguns dos moradores do local se dizem assustados com o acontecido e preferiram não comentar. Outros, também com receio de sofrer represálias dos assassinos, contaram o que viram e ouviram sem se identificar. “Fiquei chocada. Não é nada agradável a gente acordar e ver um corpo no meio da rua onde a gente mora”, disse a cabeleireira, que pediu para ter a identidade preservada. Perseguição Outro morador da Rua Santo André conta, sem dizer o nome, que há dias o vigia reclamava da perseguição de integrantes de uma gangue da Vila Dedé (que fica próximo ao Santa Luzia) contra ele. Dois rapazes já o teriam ameaçado. “Seu Pedro” cobrava R$ 25 de moradores e comerciantes do Santa Luzia para fazer o serviço de vigilante. Ele percorria a ruas do bairro de bicicleta e usava um apito para anunciar sua presença. No local do crime foram encontradas a barra de ferro e a faca que a polícia acredita terem sidos as armas usadas para agredir o vigia. Policiais também encontraram um revólver calibre 38, que pertencia à vítima, do qual a polícia suspeita que tenham sido disparados os tiros contra o vigilante.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Já campeão, Brasil atropela Itália e termina invicto campanha no Japão
VOLÊI

Já campeão, Brasil atropela Itália e termina invicto

Dois são absolvidos de processo que envolve Puccinelli e Amorim
JUSTIÇA FEDERAL

Dois são absolvidos de processo que envolve André

No elenco de "A Dona do Pedaço", Lucy Ramos vibra com virada da personagem na trama
TELEVISÃO

No elenco de "A Dona do Pedaço", Lucy Ramos vibra com virada da personagem na trama

Balança comercial tem saldo <br>de US$ 2,2 bilhões no ano
MATO GROSSO DO SUL

Balança comercial tem saldo de US$ 2,2 bilhões no ano

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião