segunda, 23 de julho de 2018

Vigia assassinado a tiros de pistola na cabeça em margem de rodovia

19 OUT 2010Por EDILSON JOSÉ ALVES, PONTA PORÃ02h:45



O vigia noturno Gerênio Blanco foi morto na noite de domingo, na margem da MS-164, saída de Ponta Porã para Antônio João. Ele foi alvejado com tiros de pistola na cabeça. Já no lado paraguaio da fronteira, uma mulher foi executada por um pistoleiro que estava de motocicleta na região central da cidade. O crime teria sido cometido mediante encomenda.
Gerênio Blanco, que, segundo testemunhas, atendia pelo apelido de “Jeremias”, foi encontrado caído apresentando perfurações de balas na cabeça. Os policiais militares que atenderam a ocorrência disseram que não poderiam precisar quantos tiros atingiram a vítima, mas recolheram no local duas cápsulas de pistola calibre 9 milímetros. Testemunhas informaram que a vítima trabalhava no Bairro São Vicente de Paula como vigia noturno. O autor dos disparos não foi identificado. O corpo da vítima foi levado ao Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) de Ponta Porã e, posteriormente, liberado para a família fazer o velório.

Mulher
Por outro lado, em Pedro Juan Caballero, por volta das 5h45min., de domingo,  Cinthia Mabel Brizuela Robledo, de 27 anos, que, segundo a Polícia Nacional, trabalhava como prostituta e era conhecida como “Cinthia Loca”, foi executada por um pistoleiro que estava de motocicleta e acompanhado por uma mulher. Um dos tiros atingiu o olho esquerdo de Cinthia.
O crime ocorreu na Rua Cerro León esquina com Humaitá, no centro de Pedro Juan Caballero, a poucos metros da linha divisória com Ponta Porã. Uma testemunha disse aos investigadores da Polícia Nacional que a vítima seguia a pé no momento em que o motociclista a alcançou e desferiu vários tiros, causando sua morte de forma instantânea.

Leia Também