Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Capital

Videomonitoramento foi discutido em audiência hoje

4 MAI 2011Por Laís Camargo15h:59

Com o crescimento da Capital e, consequentemente, da criminalidade, as ações na área de segurança estão recebendo mais atenção. Hoje foi debatida em audiência pública na Câmara Municipal, a implantação do videomonitoramento, que consiste em instalar câmeras para monitorar pontos estratégicos da cidade – como ruas mais movimentadas e áreas vulneráveis à criminalidade.

A audiência reuniu dezenas de interlocutores dos governos estadual e municipal, líderes comunitários, chefes de unidades policiais e representantes de entidades como as federações patronal e laboral do comércio (Fecomércio e Fetracom). Todas as pessoas que se manifestaram durante a audiência declararam apoio à ideia.

O sistema é conhecido e adotado em várias cidades do Brasil e inegavelmente seria um auxílio na prevenção e resolução de atos de violência, contudo é um investimento alto e contínuo. Além das áreas de risco, todas as unidades de serviço da prefeitura teriam de ser monitoradas – elas somam 360 prédios públicos, 94 escolas, 79 postos de saúde, 16 praças, 19 centros de educação infantil (Ceinfs), 28 centros de assistência social (Cras) e 52 outros órgãos.

Além do equipamento para todos estes lugares, seria preciso uma extensa equipe atenta a todas estas imagens, um local para funcionamento e constante atualização e manutenção do sistema. O custo seria bastante alto, conforme apontou o diretor de Infraestrutura do Instituto Municipal de Tecnologia da Informação (Imti), Cleiton Barbosa.

O projeto é tentar implementar o videomonitoramento já no ano que vem. Para isto, será necessário buscar verbas federais. Há ainda algumas ressalvas com relação à privacidade e casos em que o monitoramento não apresentou resultados positivos. Portanto, ainda há muito a ser estudado.
 

Leia Também