Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Vídeo Índio Brasil terá duas mostras de filmes

24 JUN 10 - 07h:00
Thiago Andrade

A abertura da terceira edição do Vídeo Índio Brasil (VIB), que acontece no dia 31 de julho, contará com a exibição de dois vídeos do Projeto Vídeo nas Aldeias, sendo eles “Já me transformei em imagem”, de Zezinho Yube, e “De volta à terra boa”, de Vincent Carelli. Os organizadores divulgaram ontem a programação do festival, que segue até o dia 7 de agosto. Este ano, o VIB chegará a mais de 100 cidades brasileiras e contará com mostras audiovisuais diferenciadas.
Enquanto a Mostra Mato Grosso do Sul exibirá apenas produções inéditas, a Mostra Nacional levará a diversas cidades de todos os estados do País as mais importantes produções exibidas em edições anteriores, além de filmes inéditos selecionados entre as 80 inscrições feitas para essa edição. “Como essa é a primeira vez que o projeto será levado para outras cidades, queremos apresentar algumas obras que consideramos importantes para a questão indígena que já foram exibidos nas edições anteriores”, aponta Pedro Ortale, um dos coordenadores do VIB 2010.

No Estado, a mostra contará com 15 vídeos inéditos, entre os quais alguns foram produzidos pelos próprios indígenas. “Temos um bom número de vídeos produzidos no Projeto Vídeo nas Aldeias. Eles representam bem a visão que os índios tem de si mesmo, de sua cultura e sua história”, ressalta Ortale. Entre os vídeos selecionados, o coordenador destaca os dois que figuram na abertura das mostras. Ortale afirma que “são duas obras fantásticas. Tratam da questão da constituição do estado brasileiro, do desenvolvimento do país e de como as etnias sofrerem durante esse processo”, detalha.
A curadoria foi feita por Ortale, pela produtora cultural Luana Salomão, pelo antropólogo Bruno Ricartes, pelo designer e representante indígena Gilmar Galache e pelos jornalistas Oscar Rocha e Michelle Rossi. Segundo Ortale, na escolha das obras, foram levados em consideração critérios técnicos e de conteúdo, procurando se aproximar ao máximo da realidade indígena.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ARTIGO

Fausto Matto Grosso: "O pacote Mais Brasil"

Engenheiro civil e professor aposentado da UFMS
OPINIÃO

Marco Aurélio Pitta: "Nova chance para os 'contribuintes legais'"

Profissional da área contábil e tributária

Felpuda

ALIANÇA PELO BRASIL

Bolsonaro admite que pode presidir novo partido

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião