Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

CADERNO B

Viagem pela música clássica

5 NOV 2010Por OSCAR ROCHA18h:30

Na quarta edição, o Encontro com a Música Clássica, que começa amanhã no Teatro Glauce Rocha e segue até a quarta-feira, propõe viagens por diversos estilos, unindo desde canções populares, peças do período barroco até música folclórica. A intenção não é limitar as possibilidades sonoras, mas ampliá-las utilizando o formato das orquestras e arranjos sinfônicos como elementos de unidade. Isso poderá ser visto/ouvido desde o primeiro momento do evento, quando a Orquestra Sinfônica de Campo Grande disponibilizará a base instrumental para canções de Rodrigo Teixeira, Márcio de Camillo e Jerry Espíndola – atualmente com o projeto Hermanos Irmãos – Filho dos Livres, Evelin Lechuga e Melisa Azevedo. “Será uma abertura com caráter bem popular. A orquestra fará os arranjos das músicas destes artistas”, explica um dos coordenadores do encontro, o músico Jardel Vinicius Tartari.

Para ele, nos últimos anos a música de concerto teve ampliação de espaço na cidade, com o aparecimento de novas formações e talentos. O encontro é um momento para dar visibilidade a esses músicos. Outro aspecto importante do evento é abrir espaço para propostas vindas de outros pontos do Brasil e até do exterior. Grande parte dessas propostas foi conhecida pelos músicos locais a partir da participação nestes eventos fora de Mato Grosso do Sul.

É o caso do Quarteto Tau (São Paulo), que abrirá a noite do segundo dia do encontro. A formação tem a intenção de ampliar o repertório da música de câmara para violões. A base é a música brasileira, mas há espaço para criações de compositores latinos-americanos. Na primeira parte da noite, peças de Villa-Lobos, Radamés Gnattali, Tom Jobim e Garoto. Na sequência, o Quaterto Toccata, juntamente com a Orquestra Sinfônica de Municipal de Campo Grande, executará uma peça de Vivaldi. Na parte final, o Quarteto Tau retorna e destacará “Concerto para quatro violões e orquestra de câmara”, do compositor argentino Eduardo Scalante. A peça foi criada especialmente para o grupo e o autor estará presente, fazendo a regência.

Leia Também