quinta, 19 de julho de 2018

Núcleo Industrial

Vetorial tem incentivo para reativar siderúrgica até 2012 no Indubrasil

14 DEZ 2010Por ADRIANA MOLINA03h:50

Há quase um ano paralisada por problemas financeiros, a unidade da Vetorial Siderurgia, em Campo Grande, deverá retomar suas atividades no início de 2012. A empresa, que foi comprada no final de 2009, da Sideruna e logo em seguida parou de operar, prevê a produção de 90 mil toneladas de ferro-gusa por ano no Núcleo Industrial (Indubrasil), e a recontratação de cerca de 120 funcionários.

A informação foi confirmada pelo diretor da Vetorial, Gustavo Corrêa, que solicitou ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico de Campo Grande (Codecon), prazo para reiniciar as atividades na Capital, mantendo os incentivos concedidos pela prefeitura de Campo Grande.

A siderúrgica havia conseguido, quando ainda era Sideruna, a doação da área onde a empresa está instalada, isenção de taxas e Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) sobre a construção e isenção de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) por 10 anos.

Reunião feita ontem, pelo Codecon, aprovou o pleito, dando até março de 2011 o prazo para Vetorial retomar as atividades. "Vamos manter os incentivos porque se trata de um importante empreendimento no nosso município, que estava comprovadamente abalado por questões financeiras e de logística, mas que agora quer retomar as atividades e trazer desenvolvimento", disse Edil Albuquerque, o secretário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, de Ciência, Tecnologia e do Agronegócio (Sedesc).

Além de Campo Grande, a Vetorial tem atualmente outras duas unidades operando em Mato Grosso do Sul, uma em Corumbá e outra em Ribas do Rio Pardo. A empresa está desativando unidades em Minas Gerais e as transferindo para Mato Grosso do Sul, ampliando os trabalhos nas três empresas aqui.

Codecon
Na mesma reunião que manteve os benefícios à Vetorial, o Codecon aprovou ainda incentivos a outros cinco empreendimentos, totalizando R$ 12,6 milhões e a geração de quase 100 postos de trabalho. A construção da loja da empresa Via Morena, de materiais para construção e decoração, deverá investir R$ 7,3 milhões, abrindo 40 novas vagas. A empresa recebeu isenção de taxas e ISSQN sobre a construção e redução de 50% do IPTU por três anos.

Já a ampliação das empresas Ferragem Alvorada e União Indústria e Comércio de Plásticos, tiveram os pleitos de Isenção de ISSQN e redução de 30% no IPTU aprovados. Outra empresa, a RB Projetos e Assessoria, que trabalha com manutenção em redes de energia elétrica, recebeu isenção de ISSQN sobre a construção, doação de área no Polo Nelson Benedito Netto, limpeza de terreno e redução de 30% do IPTU por três anos para a ampliação de suas instalações.

Leia Também